Pós parto

Pós-Parto

 

Elena tem 15 dias hoje e nem parece que eu praticamente acabei de parir.

Sinto uma diferença enorme desses primeiros dias de pós-parto em relação ao pós-parto do meu primeiro filho. Uma diferença tão grande que mesmo já tendo decidido que essa foi minha última gravidez já tenho vontade de ter outro bebê.

Primeiro tem o fato de que Elena não dá trabalho ainda. Nenhum. Depois, acho que no geral o segundo filho é mesmo mais fácil porque a gente já sabe o que fazer e o que esperar.  Quem tem dado trabalho mesmo, dobrado, é o Erik, o que vai virar assunto para outro post.

Só que o trabalho com o Erik tem ficado a cargo de outras pessoas que não eu. Na nossa primeira semana em casa I. estava de licença paternidade. Na segunda semana e até o final dessa, meus sogros estão por aqui e na próxima I. está de férias, também por uma semana. Isso quer dizer que ainda não tive que lidar com os dois no período da manhã, o mais critico. Não sou eu quem tem levado e buscado Erik na escola. Ou seja, minhas manhãs são só com a Elena, normalmente dormindo. Meu trabalho como mãe de dois só começa mesmo quando ficarmos os 3 sozinhos em casa para valer e Elena tiver completado um mês de vida.

Mas não é só isso. Acho que a principal diferença dessa vez é que EU estou muito bem. Baby blues ou depressão pós-parto não deram sinais, também pelo fato de eu estar medicada (uma dose mínima de anti-depressivos além dos remédios homeopáticos). Verdade que lá pelo quinto ou sexto dia depois do parto andei meio chorona, meio sensivel demais, mas nada que já não fosse esperado.

O problema na coluna (que eu não tinha sofrido na gravidez do Erik) tem melhorado a cada dia. Logo após o parto continuei com muita dificuldade para andar e mal conseguia carregar Elena. Ainda no hospital fui examinada por duas fisioterapeutas que recomendaram repouso (tá bom, né?) e alguns exercícios. Voltei para casa de muletas e precisava de ajuda para tudo, mas já tem alguns dias que tenho conseguido até subir e descer as escadas com Elena no colo. As costas só doem mesmo no final do dia, mas nem tenho tomado remédio para dor. Era só o que eu precisava para me sentir 100% bem.

Meus pontos parecem ter cicatrizado sem problemas e só senti um pouco de incômodo nos primeiros dias. Depois do parto do E. me recuperar do corte da episiotomia (tomei 3 pontos só) foi das coisas mais difíceis. O corte doia muito, me impedia de sentar direito e nunca cicatrizava. Precisei fazer uma cauterização para que enfim o problema acabasse.

Justamente por causa da cicatrização dos pontos fiquei com outros dois problemas que felizmente não me afetaram dessa vez: prisão de ventre e consequentemente, hemorróidas (pois é, puerpério é glamour).

Com Erik também sofremos muito na tentativa de amamentar. Foram três semanas praticamente sem dormir, nada de leite, muita frustração, e no final uma mastite para fechar com chave de ouro. De todas as dores do pós-parto, essa da mastite foi a pior, nunca esqueço: muita febre, dores no corpo todo, peitos inchados, queimando e latejando, uma dor insuportável que piorava a qualquer toque, até mesmo da roupa.

A amamentação com Elena, infelizmente, também não foi para frente mas dessa vez insistimos menos e apesar da frustração ser enorme, não me senti culpada. Mas esse também é assunto que merece post mais para a frente…

Claro que mesmo sem o peito ela acorda para mamar durante a madrugada e muitas vezes tem trocado o dia pela noite, passando boas horas acordada e querendo companhia. Claro que tem o trabalho de ter que lavar, esterelizar e fazer mamadeiras, mas é só isso mesmo.

De resto, como eu disse, estou bem, estou animada. Estou sempre de banho tomado, de cabelo limpo e de bom-humor, apesar do eventual cansaço e torcendo muito para continuar assim depois que não tiver mais ajuda.

Eu obviamente sei que assim como os dias ruins passam, essa também é uma fase e outras mais difíceis virão. Por isso mesmo a única coisa que eu posso fazer por enquanto é aproveitar esses dias de paz, agradecer o marido e os sogros por estarem por aqui, e continuar cheirando muito a minha cria.

N.

PS. Estou usando os nomes do Erik e Elena por aqui pelo menos por enquanto já que não posso mais me referir a eles pela inicial.

PS2: Elena está com conjuntivite e com candidíase na boca, tadinha. Está medicada e melhorando a cada dia.

22 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
February 17, 2015
Next Post
February 17, 2015

22 Comments

  • Dayse Freitas

    Oi Nívea, primeiro parabéns pela filha linda! eu ainda não tenho a experiência do segundo filho, mas acho que estás no caminho certo pra superar esse pós-parto da melhor maneira possível. Aqui em Berlim eu também tive que ficar sozinha com o bebê depois de três semanas e , aí sim, foi uma fase bem difícil física e emocionalmente. Só queria te lembrar dos cursos de yoga pós-natal nos quais podemos levar o bebê conosco. Dependendo do humor deles dá pra relaxar bastante. não sei se é fácil de encontrar esses cursos aí em Dublin, mas acho que o grande ganho é conhecer muitas mãe com bebezinhos , trocar experiências e fazer amizades duradouras. Outra coisa que sempre ajuda também é frequentar café de pais (também muito comum por aqui), principalmente porque o Erik pode brincar enquanto tu conversa com outras maes, por exemplo etc.

    Tudo de bom nessa nova jornada! Bjos

    • Nivea Sorensen

      Dayse, você tem razão. Nessa fase é muito importante socializar, mais ainda com o primeiro filho. Olha, a yoga fica bem difícil porque são dois, né? Os cafés eu sempre frequentei mas ainda não encontrei nenhum onde estou morando agora. Obrigada pelas dicas x

  • Bárbara Hernandes

    Tadinha da Elena, melhoras!
    E que bom que esse pós-parto está sendo melhor que o primeiro, Nivea! Quero visitar vocês logo! 🙂

  • Maria

    Q bom q vc nao se permite sentir culpa.
    Q bom q vc nao tenta se matar mergulhando numa amamentação q poderia ser o estopim para vc sentir-se mal por nao poder realizar.
    Fico tao feliz por ti, por haver uma mãe q se permite dormir, se permite receber ajuda e se permite andar limpinha e cheirosinha no puérpero.
    Q bom q está tudo bem em sua casa.
    E sim, tudo nesse mundo chega e passa, mas q em sua casa demore muiiiiiiito a passar essa fase boa.
    Privilêgio é isso.
    Deixar-se permitir.
    Feliz por ti, pela Elena, pelo Erik, pela sua familia, e maridõn seguramente está feliz tbm e agradece esposa cheirosinha!
    Brava!
    E q seja eterno enquanto dure.
    Muita saude para Elena, q, se está medicada, já já passa!
    Um bj em seus corações!

  • Maria

    Esqueci de citar o quanto ela é linda e perfeitinha, queria uma menina pra chamar de minha, com muito rosado e todas as outras cores.
    A Elena tem os traços tao harmoniosos e marcantes, os cílios, as sobrancelhas, me faz rir e pensar q benção pouca é bobagem, tem de vir assim em grade como a Elena, rosinha, fofa perfeita e pronta pra cheira muito esse cheirinho sem igual q os bbs trazem.
    Bem vinda a vida Elena!

    • Zulmira

      Pensei a mesma coisa! Que a beleza desse bebê chama a atenção. Se é assim agora que acabou de nascer, imagine daqui pra frente! Saúde e felicidade para todos da família 🙂

    • Nivea Sorensen

      Que coisa linda, Maria. Me emocionou x

  • Bibi

    Que bom que está tudo “sob controle” nesses primeiros dias.
    Acho sim que com o segundo é ais fácil porque a gente já passou por muita coisa e tem mais segurança. Estamos mais maduras.
    Adorei a leveza das palavras. me senti mais animada a inda em ter meu segundinho.
    Que Elena melhore rapidinho.
    Beijos em vcs.

  • Didi

    Espero que continue tudo bem! Agora Éric vai virar E1 e Elena E2.
    Risos
    Beijos

  • Bruna Dalfré

    A Elena é uma fofa, parabéns!
    O segundo filho é tão mais tranquilo, já sabemos o que está por vir..rs
    Aqui eles recomendam que os bebês tomem sol para não ficarem amarelados, como funciona isso por ai já que o sol é raro?Sempre tive essa curiosidade…
    Bjus para vcs!

    • Nivea Sorensen

      Bruna,
      Aqui por falta de sol eles precisam tomar duas gotinhas de vitamina D, diariamente, durante todo o primeiro ano de vida.
      x

  • Thata

    É… dizem que o segundo filho é mais fácil mesmo, mas falando assim você me convence de que é mais fácil ainda!!! Se precisar me manda um e-mail, sou fisioterapeuta e posso tentar te ajudar. Espero que tenha melhorado já. Bjs

  • Mari Spil

    Ohh que lindezinha!
    Acho que o principal é não sofrer por antecipação, não é mesmo? Nada como um dia após o outro.
    E cheirinho de recém nascido é tão bom!

Leave a Reply

Related Posts