baby3

Bebê número 3: Perguntas & Respostas Frequentes

A gravidez foi planejada?

Foi, para não acontecer. Ou seja, foi um susto tremendo. Nós até queríamos um terceiro bebê na família mas desistimos da idéia por causa do meu histórico de depressão severa. Eu vivo com medicação, não posso abrir mão dela e sofro muito com as alterações hormonais causadas pela gravidez. Tenho duas crianças que dependem de mim e não arriscaria minha vida, e o bem-estar da minha família, para ter outro filho. Nós queríamos mesmo era que nosso terceirinho viesse através de uma adoção.

IMG_2935

No Snapchat

Há tempos eu queria uma ferramenta de comunicação com os leitores do blog que fosse mais rápida e menos estática do que o blog em si. Não para substituí-lo, mas para agregar, principalmente em épocas que fica difícil escrever com a frequência que eu gostaria. 

coffee

10 coisas que me deixam muito cansada

  1. Levantar da cama de manhã;
  2. Pensar no que vestir e me trocar;
  3. Arrumar Erik e Elena;
  4. Dar café-da-manhã para os dois;
  5. Mandar o Erik ficar sentado para tomar café 237 vezes;
  6. Mandar o Erik calçar os sapatos 156 vezes;
  7. Mandar o Erik colocar o casaco 87 vezes;
  8. Mandar o Erik fazer qualquer coisa porque preciso repetir a instrução infinitas vezes e ele leva no mínimo 10 minutos para começar o que eu pedi, depois se perde no meio do caminho e vai fazer outra coisa completamente diferente;
  9. Levá-lo para a escola;
  10. Cuidar da Elena e arrumar a casa no período da manhã;
  11. Qualquer tarefa doméstica: lavar, passar, limpar…;
  12. Dar almoço para Elena que é chatíssima para comer;
  13. Arrumar paciência para lidar com os dramas e o chororô da Elena;
  14. Ir buscar o Erik na escola;
  15. As negociações infinitas para ele entrar no carro e vir embora;
  16. Fazer a lição de casa com ele e repetir mil vezes “devagar”;
  17. Fazer qualquer coisa na rua;
  18. Ir para a academia (o que tenho feito uma vez a cada 10 dias);
  19. Tomar banho;
  20. Lavar o cabelo;
  21. Secar o cabelo;
  22. Subir e descer escadas;
  23. Dar banho nas crianças;
  24. Colocar pijama e escovar os dentes com eles;
  25. Estória na hora de dormir;
  26. Pensar no que fazer para o jantar;
  27. Fazer o jantar;
  28. Esperar o marido para jantar;
  29. Esperar o dia acabar pra eu voltar pra cama;
  30. E todo o resto.
image1

Coming soon

Precisa dizer mais alguma coisa?

N.

 

 

ce87c2becd31df32e01d3bbc0a17f08f

Plano de recuperação

Já tem algum tempo que eu não ando muito bem. Várias semanas, para ser um pouco mais exata.

Começou com uma mudança sutil na minha medicação que mexeu um pouquinho com meu sono, depois foi uma gripe que me pegou de jeito, seguida por outra ainda pior (que também deixou marido e filhos doentes) o que resultou num mês inteiro me sentindo muito mal.

facebook-communication-meaningful

Existe vida sem Facebook?

Deletei. Deletei sem dó, no último domingo, minha conta pessoal no Facebook, algo que eu já vinha ensaiando fazer há tempos.

Primeiro deletei o aplicativo do celular e parei de atualizar meu status, com exceção dos links do blog postados automaticamente e compartilhamento de algumas das fotos do meu Instagram. Também já tinha deixado de seguir muitas pessoas o que fez com que a minha timeline ficasse bem enxuta. Tudo isso diminuiu bastante o tempo que eu perdia com essa rede social e funcionou muito bem durante um bom período de tempo.

ALfevmar Collage

Biblioteca de Amélia { Fevereiro & Março 2016 }

De todas as minhas resoluções de ano novo, de longe a que vai melhor é a de ler mais. Em janeiro foram sete livros lidos, em fevereiro mais três e outros três em março (agora na metade de abril já estou terminando o terceiro livro do mês também).

O fato de ter uma au pair em casa, claro, ajuda, apesar de eu ler muito pouco durante o dia. Agora o que tem ajudado mesmo é ter diminuído consideravelmente o tempo gasto em redes sociais e ir para a cama num horário razoável todas as noites.

IMG_2379

Erik, 5 anos

Eles sempre crescem muito e muito rápido, é verdade (clichê, mas verdade). Do ano passado para esse, no entanto, Erik parece ter envelhecido mais. Deu uma espichada de tamanho, está mais maduro, cada dia mais moleque e menos menino.

Não sei se é o corte de cabelo, se foi o início da vida escolar e da convivência com crianças mais velhas (ele é praticamente o mais novinho da turma), se foi a chegada da irmã caçula, ou se foi uma mistura de tudo isso. Fato é que esse aniversário foi um marco para ele e para a nossa família.