Livros

My life in books


My Life in Books
é o nome de uma seção da revista Elle britânica que a cada mês convida uma celebridade para escrever sobre “os 5 livros que mudaram a sua vida”.

Eu não resisti ao exercício de fechar os olhos e me deixar invadir por memórias dos 5 primeiros livros que me viessem à mente. Assim mesmo, sem pensar muito. Isso já faz mais de uma semana, e vira e mexe eu volto a pensar se mudaria aquela primeira lista, a da intuição. Convencida de que minha resposta é não resolvi escrever sobre eles.

Em ordem cronológia e não de importância:

1) O Pequeno Princípe –  Antoine de Saint-Exupéry

Com o perdão do clichê, O Pequeno Príncipe está aqui não só pela história linda sobre solidão, amizade, e as coisas que a gente esquece quando deixa de ser criança, mas também por ter sido o meu primeiro livro, ganho no Natal de 1986 (quando eu tinha 8 anos). Me lembro claramente de ter ignorado todas as Barbies, Ursinhos Carinhosos e Pequenos Pôneis e de ter achado aquele o presente mais legal de todos os tempos. Lembro também de pensar comigo mesma “Uau! Que livro enorme”. Naquele verão, estirada na rede do sítio onde costumava passar férias com a madrinha, me achei muito adulta lendo um livro com mais palavras do que figuras. Perdi as contas de quantas vezes voltei a lê-lo depois daquela primeira vez, e tenho comigo, guardado como preciosidade esse mesmo exemplar. Muitos e muitos anos depois, livros são ainda o melhor presente que alguém pode me dar.

2) Olga – Fernando Morais

Mil razões para estar aqui. Adoro biografias e o Fernando Morais (que escreveu outras tantas que valem a pena ler) é excelente biógrafo. Olga nas mãos dele ganhou cara de roteiro de cinema. Ironicamente, o filme feito pela Globofilmes é uma das piores, se não a pior, adaptação de um livro para o cinema. Eu li pela primeira vez um exemplar de biblioteca, quando estava na oitava série,  e anos mais tarde acabei indo cursar História na faculdade, muito por conta da estória de vida dessa mulher tão corajosa e tão determinada.

3) Dom Casmurro – Machado de Assis

Li ainda  no colégio, por obrigação. Na época eu já gostava muito de ler, mas era mais fã da Série Vaga-lume do que dos clássicos da literatura brasileira. Me lembro de ter gostado mas ainda não tinha idade suficiente para perceber que era uma obra prima. Não tinha muita paciência para aquele português antigo e difícil, ou maturidade para entender, por exemplo, o porquê dos “olhos de ressaca” da Capitu, ou as referências à Othelo. Mas desde sempre me apaixonei pelo “não saber”.

4) Morangos Mofados – Caio Fernando Abreu

Muito antes do Caio Fernando Abreu virar moda, e se espalhar pelos Twitters e Facebooks da vida (quase como ver nego usando uma camiseta da antiga Fórum com a cara do Che Guevara estampada), eu já tinha caído de amores por ele. Li todos os contos, de todos os livros. Reli. Li novamente. Copie frases em agendas antigas. Chorei. Grifei parágrafos inteiros. E então li novamente. E reli. E leio sempre. E amo sempre. Morangos Mofados deve ser o livro de contos mais famoso dele, e foi o meu primeiro. Da biblioteca para a minha casa, e depois de um sebo para a minha vida.

5) High Fidelity – Nick Hornby

O único exemplar da lingua inglesa da minha lista deve ter sido justamente um dos primeiros livros em inglês que eu li. Na verdade, li primeiro em português, e gostei tanto, mas tanto que tive que correr atrás de tudo mais que o Nick Hornby tinha escrito na vida. E foi então que percebi que se quisesse ler todos eles, deveria ler em inglês já que nenhum outro tinha sido traduzido para o português até então. Depois reli High Fidelity em inglês e gostei ainda mais. Desde então me dediquei a ter o melhor inglês possível para nunca mais ter que precisar de tradutor.

Alguém se anima a me contar quais foram os 5 livros que mudaram a sua vida?

N.

13 Comments

38 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
September 20, 2011
Next Post
September 20, 2011

13 Comments

  • Priscila

    Da sua lista, eu so li o pequeno principe e amo esse livro. Valeu a dica pelos outros… vou le-los tambem. Amo ler, mas ando meio preguicosa nas ultimas semanas.. bjs

    • Nivea Sorensen

      Oi Prisicila,
      Eu leio muito menos hoje do que lia há alguns anos atrás. Acho que é uma questão de hábito, né?
      Um beijo

  • Ana

    Ah, adorei 🙂 Tem dois dos seus na minha lista, quando eu terminar o 30 livros em 30 dias (falta pouco!), eu posto a minha. x

    • Nivea Sorensen

      Ana,
      Agora fiquei curiosa, eu sei que Dom Casmurro é um deles. Estou acompanhando o seu 30 livros em 30 dias.
      Um beijo

  • mi

    Eeee nao sabia q o pequeno Principe foi um livro importante pra vc, mas fiquei feliz de ter sido esse meu primeiro presente pro babog 🙂 pelo menos a Mae eu agradei..

    Vou fazer um post contando os meus tb 🙂

    Bjooooo

    • Nivea Sorensen

      Mi,
      Eu ganhei meu O Pequeno Príncipe da minha madrinha. Fiquei muito feliz que o E. ganhou o dele de você.
      Um beijo

  • Andressa

    Machado 🙂

    Ulysses!!

  • Bibian!

    Eu nao lembro de um que mudoooouu minha vida, mas oq fez eu ver a literatura clássica brasileira com outros olhos foi, definitivamente, Memórias Póstumas de Brás Cubas. Eu tive a grande sorte de conseguir enxergar toda a beleza e humor do texto msm com meus poucos e lindos 16 anos! Rs.
    De literatura brasileira, sinceramente, foi o melhor livro que li até hoje mesmo com toda a linguagem mais rebuscada.

    • Nivea Sorensen

      Vivian,
      Olha só, eu não me lembro de ter lido Memórias Póstumas de Brás Cubas, vou com certeza colocá-lo na minha lista.
      Ainda estou com o livro aqui par te mandar. Shame on me….
      Beijos

  • Ananda Etges

    Assim, sem pensar muito consigo listar:

    – O Pequeno Príncipe
    – A Menina Que Roubava Livros
    – O Olho da Rua, Eliane Brum
    – A Sangue Frio, Capote

    Mas o Pequeno Príncipe é top mesmo! Já comprei um exemplar pro Vítor, em francês, em um mercado de rua em Paris. Foi o primeiro livro que ele ganhou, quando ainda estava na barriga da mamãe e era um projeto de gente!

    Beijos!

    • Nivea Sorensen

      Oi Ananda,
      Eu comprei o A Menina Que Roubava Livros mais ainda não li. Os outros dois também são livros que eu quero muito ler.
      Que lindo o Vitor ter uma cópia de O Pequeno Principe em francês!
      Um beijo

      • Ananda Etges

        A Menina que Roubava Livros é muito bom! Tenho certeza que tu vai gostar. É daqueles de lavar a alma no final (eu chorava de soluçar, abafa o caso). Beijos!

Leave a Reply