Barriga Gravidez Pretensões e Desabafos

33 semanas e a barriga que vê quem quer

Tem gente que bloga só sobre intercâmbio, sobre a vida de casada, sobre a gravidez. Eu acho que se tivesse que escolher o tema mais recorrente no meu blog ultimamente diria que é o tamanho da minha barriga.

Se você já cansou de ler sobre isso, desculpe-me, mas volte outra hora. Mas se você ainda tem um pouquinho de paciência segue em frente. Pelo menos eu prometo que não vou me estender muito.

Agora eu cheguei a conclusão que a minha barriga de grávida é uma barriga 8 ou 80: ou as pessoas ficam chocadas com o tamanho ou simplesmente ignoram, conforme a conveniência, claro.

No ônibus, por exemplo. Eu pego ônibus por poucos minutos, sempre num horário tranquilo (já que trabalho das 10 às 18), então sempre arrumo um lugar para sentar. Acontece que às vezes o lugar disponível está lá no fundo do ônibus e até chegar lá vou acompanhando todos os olhares que se abaixam ao me ver passar pelo corredor, meio que com medo de ter que me oferecer o assento. As pessoas jovens sentadas no assentos reservados então já fingem dormir ou enfiam a cara no livro ou no celular. Várias outras vezes fui obrigada a subir as escadas (aqui em Dublin os ônibus são de dois andares) mesmo carregando a bolsa, a barriga, as sacolas.

Você pode achar que eu não deveria estar reclamando. Talvez não devesse mesmo, mas a barriga pesa horrores (é diferente de estar gorda, eu sei porque já pesei os mesmos muitos quilos de hoje sem a gravidez), as pernas doem quase que o tempo todo, as costas também. Sem contar que já não tenho mais o mesmo equilíbrio, então subir aquela escada caracol do ônibus em movimento é tortura, morro de medo de cair.

Outro dia no banco, idem. Fila enorme. Encarei. Todo mundo fingiu que não percebeu a barriga e ninguém se ofereceu para me deixar passar na frente.

Mas o pior, o pior de tudo, a coisa mais sem noção que me aconteceu durante a gravidez ainda estava por vir.

Estava lá eu no Tesco, num sábado à tarde, com minha cestinha de compras (de pouquíssimos itens). Dois caixas funcionando, umas 5 ou 6 pessoas na fila de cada um deles. Escolho um e entro na fila. As pessoas até olham para mim, veêm o barrigão e fingem que não seria educado me deixar passar na frente. Como manda Murphy a fila ao lado obviamente anda muito mais rápido. As 5 ou 6 pessoas pagam pelas compras, empacotam e vão-se. Outras 5 ou 6 também são atendidas antes que a minha fila se mova. Eu conheço Murphy desde a infância e sei que trocar de fila não vai fazer com que eu saia dali mais rápido.

Chega a minha vez, ou melhor a vez da pessoa que está a minha frente passar. E aí como só acontece aqui em Dublin a caixa não consegue achar o preço do produto e saí em busca de um código de barra ou coisa parecida. Sem pressa. Caixas de supermercado aqui nunca têm pressa. Nessa hora eu sinto saudades daqueles supermercados de São Paulo, onde o caixa aperta um botão e alguém de patins vêm ao seu socorro. Onde foram parar todas as pessoas que têm pressa? Porque os irlandeses, esses parecem nunca se incomodar com a demora.

Foi-se a caixa e eu já não aguentando mais ficar de pé me apoiei num pilar, mão nas costas, cara de dor, barriga ainda mais evidente sem o casaco, vontade absurda de fazer xixi. Todo mundo atrás de mim na fila desiste e sobra eu lá, com as compras já na esteira do caixa.

Nesse momento, uma mulher de aproximadamente 35 ou 40 anos no máximo se aproxima e educadamente me pergunta se eu me importaria em deixar ela passar na minha frente. A justificativa dela? Ela tinha somente 3 itens e pagaria em dinheiro.

Devo ter demorado 5 minutos para reagir, tentando encontrar nela alguma razão para justificar o pedido (vai que a mulher não tinha uma perna, ou coisa do tipo). Quando vi que ela era perfeita, inclusive jovem e bonita, olhei bem na cara dela e com a mesma educação disse que já havia esperado por mais de 30 minutos, tinha 5 itens e também, veja só, pagaria em dinheiro. Além disso, caso ela não tivesse visto ainda, apontei para a barriga enorme e fiz cara de “preciso falar mais alguma coisa?” No fundo queria ter mandado ela para a casa do c*$£%@^.

Agora fala aqui pra mim se esse tipo de coisa só acontece comigo? É só comigo?

N.

p.s. e só para provar meu ponto, no último sábado uma desconhecida na rua me parou e perguntou se eu esperava não por gêmeos, mas por trigêmeos! Não acredita? Tenho 3 testemunhas.

ps.2.: 33 semanas de umbigo no lugar e sem estrias: viva!

13 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
March 2, 2011
Next Post
March 2, 2011

13 Comments

  • Felipe

    Nivs, vc tinha que ter mandado ela tomar no meio do cu dela!!!

  • nivea

    Ah, Fê… devia não devia? Mas se tivesse isso me faria lembrar de você. Eu nunca mais falei isso pra ninguém, mas tenho vários guardados pra quando a gente se ver em dezembro.
    saudades e te amo
    x

  • Cintia

    DE NOVO.
    Nao, nao, nao, nao a-c-r-e-d-i-t-o!

    Que porra eh essa? Que absurdo. Eu ate escrevi um post sobre como ninguem nunca me ajudava ou dava assento la na Inglaterra. Isso eh uma vergonha.

    Cheguei em Fortaleza e nunca peguei fila ou esperei pra ser atendida. Olha so…

    Ai ai… devia ter mandado essa mulher ir pra casa do c”£$% mesmo! Putz!

  • DanyGouveia

    Ni senti uma diferenca enorme qd voltei p/ Brasil, qd voltei estava de 6 meses, mas a barriga ja estava a mostra e nunca ngm deixava eu passar na frente no banco, no cinema, nadinha de nada, gravida nao tem vez ai em Dublin, mas tbm qd cheguei aqui, era uma verdadeira furona(nem via se haviam placas), simplesmente furava todas as filas, inclusive hoje furei uma fila enorme(agora a desculpa eh que estou com bebe no colo), porem essa moleza termina semana que vem, quando volta a realidade europeia…rsrs

    Bjkas grandes em vcs dois =)

  • Daniela

    Ai q raiva, hein! Mas olha Nivia, aqui na Italia o pessoal tb nao tem pressa, é impressionante! Lojas de telefone sao campeas. Um atendente e uma fila. Tem gente q so vai comprar recarga do fone, e outros vao comprar um telefone (q precisa um saco de documentos, cpf, endereço, identidade, etc,etc, tudo com copia, assina aqui, assina ali), fora a pessoa perguntar todo manual do telefone de 10 aparelhos antes de comprar. Da pra entender? Ja tive vontade de quebrar uma loja inteira por causa disso..

  • Manu

    Nossa, que absurdo, Nivea!! E vc estando grávida… é muita cara de pau dela, né.
    Mas é assim mesmo, tem gente que não se toca, ou que simplesmente não se improta com nada nem com os outros [é o cao dessa mulher].

    Se eu fosse vc tbm teria mandado ela pra ponte que caiu. Ainda que fosse em português, pra ela não entender, e depois faria a phyna. Rsrs.

    Um beijo, meu.

  • Ursula

    1. Kd a foto da barriga?
    2. Quer qeu teensine a mandar pessoas para aquele lugar?
    3. Com quem vc aprendeu a ser tttaaaoooo educada?

  • Ingrid

    Confesso que qto mais ando por essa europa mais eu questiono o motivo de alguns pessoas dizerem “Fulano tem uma educação europeia” ao falar de alguém super bem educado!
    Aqui na Holanda a educação e gentileza com as grávidas, idosos e mães com filhos no cólo parou na PORTA, o povo simplesmente IGNORA, mas olha, eu nao fico quieta nao, cansei de botar nego pra correr qdo eu tava de barriga e olha que nem era um barrigão não, mas eu chegava e falava “Com licença, eu to grávida”, obvi que muita gente torcia o nariz, reclamava, resmungava palavrao em Holandes mas eu nao tava nem ai, tb ja tirei gente do lugar pra dar lugar pra outras gravidas ou pra idosos.
    No embarque pro Brasil a fila da KLM era gigantesca, eu claro fui passar na frente, ja tava bem barriguda, ouvi cada absurdo… mas simplesmente IGNOREI, acho muito desaforo!

    Na Hungria foi como no Brasil, a barriga ainda tava pqena, eu ate fiquei surpresa qdo um senhor ja mais de idade se levantou pra me dar o lugar assim que entrei no onibus, falei pro namorido “Pq ele me deu o lugar?” e ele me disse “Pq aqui mulher gravida tem preferencia”… OOOOO ALEGRIA, viva o TERCEIRO MUNDO!

    E olha, manda o povo a merda, passa na frente, vc tem direito, quem achar ruim que vá reclamar com o PAPA!

    Beijocas

    PS: Serviços na Holanda são tão lentos que FAST FOOD é SLOW FOOD, aqui parece que o povo tá te fazendo favor, rola um descaso absurdo, nessas horas sinto saudades da agilidade paulistana.

  • Ernani

    PQP. O pior é que provavelmente isso aconteceria em qualquer lugar. O povo daqui é mole, mas a falta de educação é patrimônio universal. Minha oferta continua de pé… precisar matar alguém, é só chamar…

  • ka smith

    Amiiiiiiiga!
    Que saudades!
    Eu não enjoo de saber sobre o tamanho da barriga até porque perdi duas semanas de updates!
    Se eu estivesse lá essa folgada teria a resposta certa e não a resposta educada!
    Voltarei para te ler e saber o que perdi!
    Te vejo no sabado, anyway…

    beijo na pancinha!

  • Felipe

    Ebaaaaa!!! Uhuuul!
    não vejo a hora de dezembro chegar!!!

    Te amoooo! Saudade!

  • Rafaela

    Oi Nívea! Fiquei indignada por você, imagina se eu tivesse ali no momento do acontecido! Teria entrado no meio da conversa logicamente! rsrs Não aguento ver esse tipo de falta de respeito com idosos, mulheres grávidas ou deficientes físicos. Isso não é apenas pela gentileza, é pela lei mesmo! As pessoas deveriam ter mais noção, mas elas infelizmente não tem, ou fingem que não!

  • Bruna

    Ô da pança!
    Não encontrei nada online sobre as moedas para carrinho de compras na Irlanda. A minha era brinde da empresa que o Herr trabalha, com a logo e tal.
    O que encontrei que seria mais próximo daí é em UK: http://www.poundforlife.co.uk/

    Bem légolas 🙂
    Bjim!

Leave a Reply