Meu babóg Pretensões e Desabafos

Chegadas & Partidas

Minha irmã estava com passagens compradas para vir para Dublin nos visitar quando soubemos da gravidez.

Ela sugeriu adiar a data para acompanhar a chegada do novo bebê e ajudar nas primeiras semanas mas a convenci que não era uma boa idéia.

Se por um lado eu teria ajuda, por outro estaríamos com menos liberdade de sair e aproveitar a estadia dela por conta de um recém-nascido. Mais do que isso, achei que era a última oportunidade do E. de ganhar a atenção da tia, sem dividi-la com o irmão ou irmã mais novo(a).

E eu acertei em cheio.

photo 2-1

photo 1-1

E. aproveitou e grudou na tia feito carrapato. Estava sempre em cima dela, literalmente, sempre dizendo que ela era sua melhor amiga e que a amava.

Aos poucos tentei prepará-lo para a despedida explicando que ela ia voltar para casa ao que ele sempre respondia que iria junto. Achei bonitinho no começo mas depois passei a afirmar sempre que ele não iria. Ele pediu ao pai para ir e ouviu que não tinha dinheiro para a passagem, então começou a juntar umas moedinhas dizendo que ia dar para o airplane man para poder ir para o Brasil.

No dia de levarmos minha irmã ao aeroporto ele até parecia mais conformado, estava animadíssimo para ir para Killarney com os avós e esperar o Papai Noel mas na hora de dizer tchau se recusou. Não quis dar um abraço e um beijo e só pedia para ir junto.

photo 3-1Ai armou o maior escândalo. Chorou, gritou e foi carregado para o carro pedindo para voltar. Chorou o caminho todo e chorou em casa. Depois pediu para ficar sozinho, disse que tinha saudades da tia (e que ela estava sozinha e perdida no aeroporto) e se recusou a falar mais no assunto. I. e eu ficamos os dois comovidos com a reação e me senti um pouco culpada porque viver longe foi uma opção minha, não dele.

Foi a primeira vez que vi meu filho muito crescido para ignorar certas coisas mas ainda muito pequeno para entendê-las direito. Quis abraçar, quis proteger, mas simplesmente não posso evitar que ele cresça acostumado com essa coisa que em português a gente chama de saudade.

N.

42 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
December 18, 2014
Next Post
December 18, 2014

42 Comments

  • Ana Flores

    Que filho lindo! Cheio de emoções e sentimentos. A gente aprende a viver com a saudade, e com despedidas e com choro e com a dor de cabeça que vem logo depois dele. God bless!

  • Karina M.

    Ní, quando eu vi a foto do E., pelo o face, chorando por causa da partida da titi meus olhos se encheram de lágrimas.
    Tão pequenino e já sofrendo de saudade.
    Deve cortar o coração mesmo.
    Saudade é bom mas tb dói.

  • Luciana - Canada

    Chorei.

    Apesar de saber que fiz a melhor escolha, a escolha foi minha.

    Difìcil, viu?

    Beijos pra vcs.

  • Manu Maia

    Ai Nivea, eu vi as fotos E o video, fiquei com o coração na mão. =(
    Tadinho do ruivunho, entendo teu sentimento de culpa, mas se nao fosse essa tua escolha, talvez ele nem estivesse aqui.
    Pelo menos agora chega o natal, ele ve os avós e se realegra um pouquinho.
    Um beijo e vc’s e na barriga. 🙂

  • Nadja

    Ai que lindo e que tocante. Quando eu fui au pair tive uma experiência de aeroporto parecida, quando me despedi das minhas crianças. Meu menino gritava chorando “Minha Nana” e eu partindo por dentro.
    Antes, quando íamos passear antes de eu voltar, ele me perguntava “é essa rua que a gente pega para ir andando pro Brasil?” “Você vai me levar andando com você pro Brasil depois?”

    Muito amor e muitas saudades!

  • Paula Oliveira

    Fiquei com dó quando vi a foto no face. Amor mais puro que o de uma criança é difícil de achar, né?
    Bjo

  • Cintia Romano

    Poxa Nívea, que dó do E! Vi as fotos pelo face e meus olhos se encheram de lágrimas!
    Lindo de ver o amor dele!

  • Gabi Ramalho

    Preciso nem dizer que como expatriada e mãe tô me acabando de chorar, né?!

    Ai que dó dessa carinha dele…!!

    E que lindo esse amor pela tia!!

    Beijos

  • Fabiane

    Aiiii Nivea, quando vc postou no face fiquei super comovida e chorei…lendo esse post hoje de TPM chorei de novo, o Erik é de uma sensibilidade fora do normal e com tão pouca idade <3.

    "viver longe foi uma opção minha, não dele…" isso me consome diariamente, em pensar que futuramente terei filhos que vão passar pelo o mesmo.

    Bjs

  • Mari Spil

    Que lindo! Dói, mas acho que faz parte da maturidade das crianças, do processo de aprender a lidar. Já tiveram oportunidade de se ver por Skype após a partida?

  • Mari

    É bem verdade que com parte da família do outro lado do oceano os pequenos terão que se acostumar desde cedo com a saudade, mas eles sempre terão o frio na barriga, o brilho nos olhos, o sorriso ansioso e a alegria de quem espera a visita quem se ama. Acho que uma coisa compensa a outra, né?
    Beijo nos três :*

  • Bibi

    Tadico. É um querido! E é assim mesmo.
    Aqui moramos todos longe, Nívea. Não tããão longe, mas em outra cidade. Então, as partidas já estão ficando difícies também. E, à medida em que eles crescem, vão entendendo mais.
    Mas, como você disse, eles tem que crescer e entender. Aos poucos isso vai ficando mais natural para eles.

  • Thais

    Ai que lindo…pois eu tenho uma prima que quando criança ia passar uns dias das férias na minha cidade em Minas Gerais. Ela é de São Paulo. Coloque aí umas 8 horas de viagem de carro. Ela só parava de chorar quando chegava em casa. E isso é lindo de se ver, sentimento muito puro e verdadeiro. Só dá uma peninha de ver ele sofrendo, tão pequenininho…mas, como digo pro meu filho, quando ficamos tristes, precisamos viver a tristeza pra ela passar mais depressa.
    Um beijo.
    Thais

  • Natália

    Tadinho… Já tá melhorzinho? Espero que sim.
    Bjs

  • Priscila M S Lima

    Nem preciso dizer que chorei né. Não se sinta culpada, isso faz parte da vida e ele teria que enfrentar isso em qualquer momento. O importante é o amor vivido. Isso fica guardado dentro da gente pra sempre. Bjs

  • Zulmira

    Frustrações fazem parte da vida. Ninguém gosta, mas não dá pra evitar. Não deixa de ser um aprendizado, um amadurecimento. Apesar de cortar o coração quando se trata de uma criança. Ainda bem que ele tem tanto amor em torno de si; isso com certeza o ajudará a superar essa tristeza.

  • Soraya

    Quase chorei ao ler, é muito amor. É o nosso sangue latino.
    Tudo de bom pra você e que N. Sra. Do Bom Parto esteja do seu lado. Boas Festas.

  • adriana

    Ainda, sofri junto!

  • Liza

    Quando eu vi o video no instagram doeu meu coaracao, Nivea. Deu uma peninha dele, vontade de abraca-lo. Conor fica muito muito triste e faz todo esse escandalo quando o pai viaja a trabalho. Corta o coracao.

  • Karen Rito

    Nivea, nao consegui conter as lagrimas ao ler esse post.
    Eu tambem optei viver longe, e as vezes acho que ainda nao percebi quantas dores isso pode nos trazer…

  • Netania Gomes

    Tadinho! Vontade de abraçar ele também.
    Lindo demais esse ruivinho!

Leave a Reply

Related Posts