Meu babóg Pretensões e Desabafos

Um mea culpa

Screen Shot 2011-11-30 at 08.27.53

Esse é um texto que está na minha cabeça há um bom tempo, já. Mas não sai. Não sai porque em primeiro lugar, o tempo está muito curto por aqui agora que E. não tira mais uma soneca no meio da tarde. Não sai porque a fase não é das mais fáceis com ele. Eu até sento para escrever mas o pára e recomeça a cada 30 segundos porque ele precisa de alguma coisa, ou precisa me mostrar ou perguntar alguma coisa, não me deixa colocar as idéias em ordem, quem dirá no papel (leia-se blog).

Eu não consigo mais escrever (ou ler) como antigamente e essa é a realidade agora. Mas tudo bem, estou me adaptando. Me adaptando para logo mais a fase passar e eu ter que, mais uma vez, encontrar a melhor maneira de conviver com meu filho de uma maneira que seja legal para mim e, principalmente, para ele.

Em segundo lugar, e o mais importante, é que esse não é um texto fácil. O que eu conto aqui de coração aberto não é das coisas mais fáceis. Ou melhor, não é fácil para mim que não gosto de errar, muito menos de admitir um erro ou falha. Se esse erro ou falha ainda por cima for relacionado ao papel mais importante da minha vida, o de mãe, é ainda mais triste. Triste porque envolve diretamente a pessoa que eu mais amo e por quem sou responsável.

É desnecessário também, uma vez que eu poderia guardar isso comigo ou para minhas sessões de terapia. Mas eu já passei da fase de admitir para mim mesma que as coisas não estavam bem. Já conversei muito com o terapeuta (e com meu marido, que é meu melhor amigo) e até já comecei a corrigir a minha falha e ver resultados incríveis em pouquíssimo tempo.

Só que não é justo comigo e com a minha história. Essa é fase mais importante da minha vida de mãe e eu quero ser capaz de voltar aqui em alguns anos e me lembrar. Lembrar com muita alegria e com orgulho por ter percebido a tempo que precisava ser uma mãe melhor.

Eu precisava ser uma mãe melhor. Meu filho PRECISAVA que eu fosse uma mãe melhor.

Outra razão para não falar sobre o assunto é que eu não sabia por onde começar. Não foi de uma hora para outra que isso aconteceu e não seria em 5 parágrafos que eu conseguiria resumir a coisa toda. Aliás, não vai ser nem num único post.

E quase sem querer eu comecei.

Começar era só o que eu precisava.

Aos poucos eu vou contando o que aconteceu antes, durante e depois de uma mudança ainda maior do que a chegada do filho em si.

N.

PS. Não queria que o post parecesse mais sério do que é, nada grave aconteceu e estamos todos bem e felizes com algumas mudanças na minha rotina, só isso.

24 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
May 13, 2014
Next Post
May 13, 2014

24 Comments

  • Camila Lins

    Que post enigmático, mas a frase da gravura diz muita coisa.

    É tudo questão de ver por outros ângulos e saber se adaptar.

  • Mari

    Primeiro fiquei curiosa pensando se poderia ajudar. Depois concluí que te “ouvir” já é alguma coisa. Desabafar é bom e o blog é pra isso mesmo – pelo menos comigo é assim.
    Beijo meu

  • Thais

    Saber que tem com quem dividir estes sentimentos, sentir-se ouvida, abraçada e fortalecida é reconfortante.
    Confie na sua intuição, ainda que ela lhe provoque mudanças. Mudar é assustador num primeiro momento, mas lembre que não existe nada que o tempo e o amor não possam curar.
    Sinta-se abraçada e compreendida.
    um beijão

  • angela

    Nivea,
    já sou leitora antiga, mas nunca comento.
    Tenha paciência e amor consigo mesma. Você me parece bem exigente consigo mesma.
    Sabe quando se fala em ter compaixão e paciência com os outros? Me parece que você precisa de ter mais compaixão, paciência e carinho consigo mesma. Seja boazinha para você mesma.

    Quanto à sua relação pelo menino…você me parece uma Mãe tão boa, empenhada e cuidadosa.

    Abraço com muita ternura

    • Nivea Sorensen

      Obrigada, Angela. Eu sou muito exigente comigo mesma, sim. Tenho trabalhado para melhorar isso. x

  • Manuela

    A culpa e o peso que sua invisibilidade carrega. O importante é que em algum momento as coisas comecem a se ajustar.

    Sorte Ni,

    Beijos.

  • Liza

    Qualquer que seja o problema só de você reconhecer o erro e por estar tentando consertar K te faz uma ótimo mãe, Nivea. A melhor mãe que o E. poderia ter. X

  • Bibi

    Bom, deu vontade de saber mais agora!!!
    Esperando o próximo post… estamos aqui para o que der e vier!!
    bjo!

  • Ma

    Eu ia dizer que não entendi nada, mas depois de ler os comentários vi que não fui a única, então acho que sua intenção foi mesmo de não revelar nada. Só posso dizer que qd eles deixam de tirar a soneca da tarde é um baque mesmo, mas depois vc se acostuma. E no segundo vc já nem vai notar. A Laura não dorme mais de dia desde antes dos 2 anos! Abracos

  • Bárbara Hernandes

    Nivea, espero que esteja tudo bem e que você esteja mais tranquila e feliz com as novas mudanças. Vamos marcar de nos encontrarmos essa semana? Te mando mensagem. Beijos!

  • Bruna Dalfré

    Bom, já é um começo…..=]
    Nós mães sempre estamos tentando ser a melhor e fazer o melhor…admiro isso!
    Bjãooo

  • Mariana

    Todo mundo pode fazer melhor. Mas, ao mesmo tempo, todo mundo faz o melhor que pode naquele momento. Então, não se cobre demais. O E tem a melhor mãe que ele poderia ter. Você é uma super mãe!
    Sinta se acolhida e ouvida.
    Boa sorte nas mudanças. Que elas tragam uma rotina mais alegre, leve e doce. 😉

  • Karen Rito

    Nivea
    Nao importa o que seja, ou o que foi.
    Uma mae que nao abandona, fisicamente ou emocionalmente, que cuida… e educa, ainda que cuidar e educar seja ser dura, as vezes “malvada”… nao importa o que seja, todas nos, em nossa existencia de mae, vamos errar… e acertar… e as vezes, os erros podem ser vistos como acertos e vice-versa. Nao importa o que seja… voce esta sendo a melhor mae que pode ser… e seu filho, ainda que inconsciente, vai saber disso… se nao agora, na adolescencia… um dia. Nao seja voce, tao julgadora consigo mesma… tudo acontece como deve ser… e todos nos passamos por situacoes e momentos na vida que precisamos passar para evoluir e sermos melhores e mais humanos, ainda que nao entendamos.

    O mundo precisa de mais amor… so isso.
    De amor a seu filho, e ensine-o a amar… e voce ja vai ser a melhor mae do mundo.

    🙂
    Nao te conheco, voce nao me conhece… mas tenho muito carinho por ti, e torco por voces!

Leave a Reply