4 meses Pretensões e Desabafos

O (meu) lado negro da maternidade

Ou melhor, o meu lado em claro da maternidade.

Eu já devo ter dito aqui que até muito pouco tempo atrás eu não queria ser mãe. Eu achava que talvez plantasse um árvore e escrevesse um livro, mas que passaria a vida sem ter um filho. Existe tanta gente por aí feliz e realizada sem filhos e eu achei que era uma delas.

Então aconteceu comigo o que sempre acontece, mudei de idéia. E. chegou muito mais rápido do que nós esperávamos (apesar de planejado) e mudou minha vida de um jeito que não dá para explicar. Ou melhor, até dá mas não faz sentido fazê-lo. Não faz porque se você tem filhos, sabe do que estou falando, e se não tem aí nem que monte um curso completo eu vou conseguir te fazer chegar perto de imaginar tamanha mudança.

Olha que eu me preparei psicologicamente para a chegada dele. Literalmente falando. Fiz terapia durante quase toda a gravidez (e continuo fazendo). O foco foi sempre vizualizar as mudanças que estavam próximas, tentar prever minhas reações (surtar de vez) e como minimizar o choque. Além de técnicas de relaxamento e outras coisas que poderiam ajudar em casos de emergência.

Não estou dizendo que é assim com todo mundo. Têm mães por aí que tiram de letra e outras caindo em depressão pós-parto. Todo mundo é diferente e nenhuma é melhor ou pior mãe que a outra.

Enfim, quase cinco meses depois do parto acho que só agora eu posso dizer que me adaptei. Me adaptei à falta de silêncio, a ausência da solidão (que eu gostava tanto), a fazer tudo no tempo dele e não do meu. A deixar as coisas menos importantes para depois. Quem liga se nesse exato momento a minha casa está uma bagunça? Eu não. Não mais.

Eu gosto de estar em casa, de ser dona-de-casa, de ser mãe. Gosto da companhia de E. Estou feliz, e em paz.

Mas não 24 horas por dia. Ou melhor, não durante as 8 horas em que eu deveria estar dormindo. Eu quero dizer que a mãe toda zen (quem vê pensa) que eu sou durante o dia não vai comigo para a cama. Ou melhor, não acorda ao primeiro choro do babóg.

Não me leve a mal, eu não sou uma mãe ruim à noite. Não deixo de levantar, de trocar a fralda ou a roupa dele se for preciso, de esquentar a mamadeira, de alimentá-lo, de confortá-lo se for isso que ele procura. A cada 3 horas, se for, e como tem sido, o caso. Não o deixo chorando. Mas depois que ele volta para o berço, eu dou meu chilique. Reclamo comigo mesma, choro, fico horas acordada. Perco o chão. Um horror. De manhã quando tudo passa, e eu acordo feliz da vida novamente (ainda que cansada) me dou conta do ridículo da situação.

Para evitar que isso aconteça agora I. me deixa dormir, se não duas, pelo menos uma vez por semana. Vou para o quarto de hóspedes, fecho a porta e só levanto no dia seguinte quando ele precisa se arrumar para sair para o trabalho.  É assim, e só assim que eu ainda consigo manter um mínimo de sanidade e aguentar as outras noites em claro.

Se eu me orgulho desse comportamento ridículo durante a madrugada (é rídiculo mesmo, uma mulher da minha idade chorando por não querer ser acordada por um babóg de 4 meses)? Se acho bonito vir aqui e contar isso em público? Nem um pouco. Mas um balde de realidade na cabeça de um leitor, de vez em quando não faz mal, ou faz?

N.

30 Comments

38 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
September 7, 2011
Next Post
September 7, 2011

30 Comments

  • Carol P

    Eu tambem tive q me acostumar com a maternidade, nao nasci mae me tornei uma.
    E nao se sinta mal por precisar se fechar no quarto e dormi. Eu acredito q nos precisamos de um momento soh nosso nem q esse momento seja sozinha dormindo ou no banho ou fazendo nada, um x por dia. Otima para as maes que nao preciam, q eu duvido q nao precisem. Sanidade as x eh dificl de manter , as vezes perco a sanidade no trabalho para nao perder em casa heheheheh menos mal q trabalho por opcao senao estaria perdida.
    Bom sonos no seu quartinho. E as fotos do E sao muito fofas as caretas sao fantasticas.
    Bj Carol P

    • Nivea Sorensen

      Oi Carol,
      Bem falado, algumas de nós não nascem mães mesmo. Eu sou uma delas, como você.
      Obrigada e um beijo pra você.

  • CarlaFiore

    Nivea, eu ainda não tenho filho, e sou mais ou menos (re)casada. Mas acho que sua mãe está coberta de razão. Segura porque igual a esse seu marido é difícil achar. E quanto ao lado negro da maternidade, não acho um horror você querer dormir e precisar manter a sanidade. Afinal, que babóg quer uma mãe louca e surtada? Seu filho é lindo e dá pra ver nas fotos mesmo o quanto ele é amado. Beijos

    • Nivea Sorensen

      Oi Carla,
      Obrigada por deixar seu comentário. Fiquei tão feliz!
      Um beijo grande.

  • Ernani

    Essa dormidinha no quarto de hóspedes foi uma invenção genial. Ian é esperto… sabe manter a paz na casa. Gostei da lição… 😉
    bjoca

    • Nivea Sorensen

      Ernani, vai aprendendo amigo. Quando chegar um japinha no pedaço você já sabe o que fazer para agradar a Ju.
      Beijinhos

  • IngridSouza

    Tá certissima, ser mãe é humano e como qualquer ser humano é preciso ter paz, descansar pra poder seguir em frente.

    Minhas noites em claro foram pouquissimas, mas eu te entendo e apoio sua decisão, também admiro a decisão do seu marido de ser muito mais que o pai do seu filho, ser também o seu companheiro a sua dupla nesse time, pra mim familia é isso, é um ajudar o outro, isso é ser pai e ser mãe, além de te ajudar ele mostra ao filho dele que é presente, que está ali pro que der e vier, isso é maravilhoso. =)

    Beijocas

    • Nivea Sorensen

      Oi Ingrid,
      Muito obrigada não só pelo comentário aqui, mas também pela mensagem no FB. Ainda não respondi por lá, mas me fez um bem danado, você nem sabe.
      Um beijo grande em vocês aí.

  • Sonia

    Não raras as vezes, eu a leio e sinto que estou a ler algo que poderia ter sido escrito por mim. Este é um dos momentos.
    Ainda a uns distantes meses desse cenário, sei que serei assim. Não dormir mexe totalmente com as minhas capacidades mentais e se tivesse que escolher entre comer e dormir (e olha a escolha difícil!!) preferia dormir, sem qualquer hesitação.
    Não acho, em momento algum, o seu comportamento ridículo (e não estou querendo me defender com antecipação!), acho que é precisamente por ter consciencia das suas capacidades e limitações que é uma mulher tão feliz e uma tão adorável mãe.
    Beijos

    • Nivea Sorensen

      Obrigada, Sonia.
      Você tem toda razão, é uma limitação minha mesmo. De tudo o que mais me deixa irritada, dormir mal ou não dormir está no topo da minha lista.
      Quanto a você, não se preocupe por antecipação não. Muitos bebês dormem a noite inteira ainda nos primeiros meses. Tomara que a sua pequena seja um deles. E se não for, paciência, né?
      Um beijo e obrigada pelo carinho, sempre.

  • Paula

    Nivea eu me senti exatamente assim, por mais preparada que eu me sentisse nada podia ter me prepararado para o tamanho da mudanca, nada. Chiliques também foram normais e frequentes principalmente na exaustao do primeiro ano e meio quando Samuel nao dormia e eu tive muito pouca ajuda do pai e familia entao beirei a estafa total, mas posso te dizer que hoje curto muito ser mae e apesar de sentir falta, muita falta de ter aquele tempinho pra mim de nao fazer nada e as vezes ainda dar uns chiliques por isso de vez em quando tento me lembrar q isso é passageiro. Beijos pra vc e pro E. e acredite pode demorar mais passa. Tbm nao acreditava que ia passar, mas passa.

    • Nivea Sorensen

      Obrigada, Paula.
      Não sei como fez para passar por tudo isso com pouca ajuda.
      Eu também sinto falta de tempo pra mim, de não fazer nada. Dificíl equilibrar as coisas, não é?
      Um beijo para você e para o Samuca.

  • ana paula

    Nivea!
    Que legal que I. te ajuda dessa maneira. Não é lado negro não. A gente tem que estar disposta para ter um dia de qualidade junto com os nossos pequenos e dividir as tarefas (inclusive as noites de sono picado!) é fundamental para vc ficar bem. Aqui em casa, normalmente, a Béatrice fica com o Ju aos sabados pela manhã para que eu possa dormir mais um pouco e ficar mais desencanada com o ter que descer, fazer o lanchinho dela e tal. Vc vai ver, daqui a pouco E. estara mais independente e a normalidade voltara ao seu lar!
    Beijão : )

    PS: te acho uma super mãe!

    • Nivea Sorensen

      Oi Ana Paula,
      Muito obrigada. Nessas horas parece que ninguém mais sabe do que eu estou falando, e olha só, não é verdade.
      Um beijo

  • Veneranda

    N.,
    Vou discordar de você por que não acho nada ridículo. Privação do sono é uma das coisas que mais me tira do eixo. E isso, por meses e meses, não pode mesmo ter outro resultado.
    Os chiliques (e eu tb já dei os meus) nada mais são do que nosso organismo gritando que está no limite. Até rezar eu rezava pedindo uma noite inteirinha de sono. E quando isso, muito raramente acontecia, eu acordava no outro dia acreditando que os milagres divinos existem! hahahahaha
    Admiro I. pela iniciativa. Uma noite (ainda que seja “uminha” só) bem
    dormida, faz toda a diferença!
    Bjo

    • Nivea Sorensen

      Oi Vere,
      Mais uma vez obrigada. O post era um desabafo e acabei percebendo que não sou a única a ter meus chiliques.
      Um beijo

  • Ana Maria

    Eu já te disse uma vez que nunca me passou pela cabeça de lhe ver como mãe!! Mas eu to adorando ver estas mudanças que o pequeno E. fez na sua vida!!
    Espero de verdade um dia passar por tudo isso!!
    Vou ser baba do E. por 10 dias..será q ele irá me aceitar???rsss
    beijos

    • Nivea Sorensen

      Oi Aninha,
      Você que me conhece há tantos anos sabe bem que isso é verdade.
      Um beijo grande

  • Karina M.

    Ní,

    Eu entendo perfeitamente tudo o que você disse!
    Eu também tenho os meus chiliques… Tem dias em que choro bastante e reclamo.
    Amo muito o meu filho!! mas a mudança também é grande!
    Tem dias em que o fato de cair à noite, e eu ter que esperar meu marido chegar pra eu poder tomar um banho, me estressa muito! Me olho no espelho e choro com o que vejo. Me sinto um lixo!
    Depois tudo isso se apaga quando vejo o sorriso banguela do meu filho.
    Penso que tudo isso é uma fase. Uma hora passa…
    E vamos que vamos!

    Beijos

    • Nivea Sorensen

      Ká,
      Obrigada pelo comentário e pela força. Também já me senti muito assim durante o dia, esperando pelo marido para poder tomar um banho. Vou te contar o que eu faço por email.
      Um beijo

  • Priscila Santos

    Oi Nivs!!!!
    Amo muito minha princesa e agora que esta maior me da menos trabalho, porem qdo era menor tb me deixava acordada a noite e o pior foi qdo voltei a trabalhar. Fique tranquila, vc não é a unica a dar chiliques……ja fiz muito isso, sentava na cama e chorava….mas tudo é recompensado quando ela abre um sorriso e agora ainda fala: Mamae te amo muto, acompanhado de um abraço e um beijinho…!
    Logo o E. vai dormir a noite toda…….
    beijos e força

    • Nivea Sorensen

      Pri,
      Espero que um dia ele durma mesmo. Recompensa eles sempre dão mesmo, né? Nem que seja com um sorriso.
      xxx

  • Cintia

    Olha, Nivea, privação do sono é uma das coisas que mais tira minha sanidade tambem. Mas eu ainda to aguentando… acordo no minimo duas vezes pra dar peito pra Sofia. Mas no nosso caso, eu arrasto ela pra cama comigo e ela mama deitada, eu durmo, ela mama, ai ela dorme e eu nem vejo…

    Ta dando certo, nao sei ate quando… hehe. Mas nao dormir eh o que eu mais me choquei com a maternidade. Gente, ninguem me avisou que seria assim. Ha!

    • Nivea Sorensen

      Cintia,
      Eu tenho dificuldade para dormir, então quando E. acorda, mesmo que ele volte a dormir rapidinho (o que acontece mesmo na maioria das vezes) eu fico acordada por um tempão. E é isso que acaba comigo…
      Um beijo

  • Karen Kidd

    Nossa Nivea, seu blog eh melhor que muito baby center website. tb era igual a vc , feliz com a arvore e o livro, mas a vida me fez mudar de ideia, ainda nao tenho babbys, mas to tentando me informar, pq sou um desastre como dona de casa, imagina como mae entao.
    Mas lendo blogs como o seu eh mais facil a gente se compreender melhor, sabendo que maternidade nao eh perfeita, que a gente tem que lidar om questoes internas bem mais complexas e ajuda saber que nao estamos sozinhas !
    bjus pra vc e pro E.

    • Nivea Sorensen

      Oi Karen,
      Que comentário mais legal! Quando você tiver o seu babóg vai ver perceber que o melhor é seguir seu coração e fazer o seu melhor. Fácil no começo não é não, mas vale a pena, e como você falou, nunca estamos sozinhas.
      Um beijo

  • Cris

    Flor, tá mais do que APOIADA!! Não é maldade e sim um momento que precisamos esquecer (msm que impossível) do baby, da casa e do marido… rssss
    Não amo meu filho menos só pq as vezes quero fazer coisas que fazia antes dele aparecer e acredito que todas MAMYS de verdade (pq tem umas que vou falar…) se sentem da mesma forma, inclusive você!!!
    Força na peruca e sempre que der “chuta o balde” e tenta se curtir sem eles… pq senão a tendência é ENLOUQUECER… hahaha

    BJOUXXX e se cuida!!!

  • Katia Hayashi

    oi Nivea… adoro o seu blog… ele está no meu “Favorites”… quando estou estressada, no meio da loucura do dia-a-dia do trabalho, dou uma fugidinha para ler pelo menos um de seus posts e desanuviar a cabeça.. acho incrível como você consegue expressar tão bem seus sentimentos.. chorei com vc no post onde vc conta sobre a senhora no onibus que lhe ofereceu um lenço de papel… as vezes, as pessoas que estão próximas da gente não vê que um simples gesto faz toda a diferença… e um gesto como esse dessa senhora, reanima e me fez pensar que ainda existe gente boa por ai, pela qual vale a pena seguir vivendo…
    Quanto aos seus posts sobre a maternidade… eu tb chorei de nervoso pelas noites mal dormidas (foram praticamente 2 anos seguidos… já que qdo a Carol começou a ficar crescidinha, o Felipe resolveu aparecer…) pela barriga flácida, pelos quilinhos a mais, por não ter o que vestir… enfim… mas tudo vale a pena, quando você vê esse baby maravilhoso sorrindo p/ vc… aproveite, porque tudo passa muuuuito depressa… e tudo isso que você está sentindo, é absolutamente normal.. pois afinal, antes de ser mãe, somos mulheres!
    Levante as mãos aos céus, por I. ser um marido-pai tão bom… pois infelizmente, no séc XXI, ainda conheço muitos pais machistas que acham que os cuidados dos filhos são responsabilidade exclusiva das mulheres..
    este que era para ser só um replay, ficou sendo praticamente um email… rs rs muitos beijos!!

    • Nivea Sorensen

      Oi Kátia,
      Que bom que foi ler seu recado por aqui. Eu não tinha a menor idéia de que você lia o blog. Há quantos e quantos anos nós não nos vemos, hein?
      Se vocês estiverem por aí no final do ano adoraria te reencontrar e conhecer sua familia.
      Um beijo enorme.

Leave a Reply

Related Posts