Gravidez Pretensões e Desabafos

Your Mother Should Know

“Let’s all get up and dance to a song
That was a hit before your mother was born.
Though she was born a long, long time ago
Your mother should know
Your mother should know”

(Lennon and McCartney – Your Mother Should Know)

Li em algum lugar outro dia que bebês expostos à música clássica desde o útero se transformam em crianças, e consequentemente adultos, mais inteligentes.  Eu, baseada em livro nenhum, em pesquisa nenhuma, na opinião de ninguém especializado, acho (bem no achismo mesmo, mas sem arrogância) que não é necessariamente verdade.

Se você parar para pensar, quem é que escuta música clássica se não pessoas com boas condições financeiras e que tiveram acesso à educação e cultura*? Consequentemente os filhos dessas pessoas também terão acesso à pelo menos o mesmo nível de educação e cultura. Claro, existem exceções, eu sei. Mas será que é só o fato de escutar música clássica na barriga que vai levar essa criança a níveis mais altos de inteligência? Ou seria todo o conjunto de estímulos vindos de anos de criação e exposição a coisas legais? Talvez uma combinação das duas coisas?

Eu não ouço música clássica com frequência. Ouço, por exemplo, se estiver escrevendo ou fazendo qualquer outra coisa que precise de fundo musical neutro. Não quis me forçar a ouvir só por causa do babóg na barriga.  Se for verdade que a criança é influenciada pelo que ouve ainda no útero da mãe o meu já vai nascer meio perturbadinho pela quantidade de Radiohead e Bjork que eu ouço.

Enfim, eu havia decidido muito antes de ler sobre isso que não pretendia mudar quem eu sou por conta do meu filho. Na medida do possível, eu pretendo adaptar um filho à minha vida e não o contrário. Eu disse na medida do possível, não me crucifixe.

Antes disso havia pensado em comprar CDs com músicas infantis mas fui desencorajada por I. que disse que gostaria que o filho ouvisse desde pequeno as mesmas coisas que nós ouvimos. Pensei comigo: Como assim? Não vamos ter os CD’s de nursery rhymes no carro para entreter o pequeno durante as viagens (lembrando que os avós moram há 4 horas de distância de Dublin)? Segundo I., não. Quando pequeno ele se lembra de ouvir durante as longas viagens de carro (no caso dele a viagem para ver os avós era até Manchester, Inglaterra), e de cantar junto, as músicas que os pais gostavam. E até hoje I. gosta de muitas dessas músicas que parecem trazer lembranças das mais doces.

Querendo muito que a mesma coisa aconteça com o nosso babóg eu sigo ouvindo os Beatles (e muito BritPop) diariamente. Mentira, eu sigo ouvindo isso diariamente porque é isso que eu faço há mais de 20 anos.

Devo confessar que fico me perguntando se ele vai gostar das mesmas coisas que nós gostamos. E mais, fico prestando atenção para ver se ele se mexe quando escuta alguma coisa em particular, mas o babóg segue ignorando minhas playlists. Ou seguia.

Para meu desgosto e frustração, outro dia assistindo um programa da BBC notei que ele, que estava acordado há tempos (eu agora consigo determinar quando ele está acordado, pelos movimentos dele), se animou mesmo ouvindo Single Ladies, da Beyoncé. Se animou tanto que era impossível não notar a minha barriga mexendo mesmo através da roupa. Tanto, que até I. que não dá muita atenção para os movimentos do filho na minha barriga se surpreendeu e não conseguia tirar os olhos (e as mãos). E assim foi até o final da música.

Resta-me agora o consolo de que só pode ter sido coincidência e esperar que ele saiba que a mãe deve saber o que é melhor pra ele. Se não a mãe, pelo menos Lennon e McCartney.

N.

* usei o termo cultura no mais restrito dos sentidos.

 

 

19 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
March 22, 2011
Next Post
March 22, 2011

19 Comments

  • Aninha

    Não sabia que o babóg gostava de Beyonce!! Tadinho nem nasceu e já curte essas coisas ruim…
    Mas tb tenho esperança que meu afilhadinho lindo mude seu gosto musical daqui pra frente…Afinal, a dinda (não gosto mto dessa palavra), vai mostrar coisas boas pra ele tb =)

    Beijo na barriga!

    • nivea

      Faltava-me essa agora!! Vai fazer meu filho ouvir sertanejo tb? haha
      bjs

  • Ingrid

    HAHAHA Pokbunny ficava todo feliz na barriga qdo minha mae chegava do trabalho e dizia “Vovó chegou e trouxe uma coisa bem gostosa pra voces!” hahah

    Fora da barriga ele parecia reconhecer as vozes e as musicas, eh bem interessante!

    Eu tenho um CD com as musicas que meu pai tocava (e cantava) nas nossas viagens de ferias, Supertramp, Beatles, Stones, Dire Straits, Blondie, Bowie e por ai vai hahahhaha, talvez mais tarde pokbunny se entrega ao lixo comercial, talvez ele tenha personalidade e não se deixe influenciar, mas foto é que por enquanto ele adora tudo oque tocamos pra ele e nos adoramos mais ainda.=)

    Beijocas e não desista, o filhotinho ta ouvindo tudo!

    • nivea

      hahaha…. “uma coisa bem gostosa pra vcs”. Dei muita risada, Ingrid.
      xx

  • ka smith

    Tudo.
    Mas please, oremos para que pelo do sertanejo e do funk ele não tenha consciência da existência.

  • Ana Maria

    Meu filho vai ouvir OASIS, BEATLES E COLDPLAY, no mínimo…rssss

  • Ana Maria

    E a Aninha vai ensinar ele a ouvir U2 e Metalica….

    • nivea

      Seu bebe já vai nascer com bom gosto, Ana.
      bjs

  • Ananda Etges

    Sabe que nas minhas lembranças da infância sempre estão as músicas que meu pai ouvia. Ele era super fã de MBP e eu cresci com muito Chico Buarque, Caetano Veloso e Maria Bethânia. Até hoje fico emocionada quando escuto “João e Maria”, do Chico. Virou a nossa música, minha e do meu pai.

    Agora em relação ao meu filho… vai ser um problema. Quais as consequencias dele crescer ouvindo coisas como Mika?! #medo

    Beijos, Ananda.

    http://projetodemae.wordpress.com/

    • nivea

      Oi Ananda,
      Que lindo vc lembrar do pai ouvindo Chico Buarque.
      Bjs

  • Fernanda Lima

    Nivea,

    eu creio que coincidencia nao existe.. na verdade, era uma manifestacao desesperada do seu baby, para que voces desligassem imediatamente aquela musica terrivel, isso sim!! hahaha

    bom, meu pai costuma dizer que a primeira banda que ele colocou para eu escutar na barriga – e fora dela – foi beatles. Se ele criou uma filha mais inteligente, nao posso dizer, mas uma beatlemaniaca, com certeza. =D

    um beijo!

    • nivea

      Fernanda, eu troco o filho “inteligente” pelo beatlemanIacao, fácil.
      bjs

  • Daniela

    O meu ficou animadissimo na barriga qud eu ouvia Yann Tiersen, e fiquei mt feliz, pq adoro!
    Ele vai crescer ouvindo Pink Floyd, Bowie, Bossa Nova..E tudo, como disse a Ka, menos funk e musica sertaneja, please!! rsrsr

    • nivea

      Dani,
      Tomara que eles fiquem mesmo longe de funk e música sertaneja, né?
      Bjs

  • Paula

    Oi Nivea

    Olha o Samuel escutou musica classica durante a gravides e enquanto dormia durante 5 meses, mas pq ele se acalmava e dormia ( coisa que ele nao e muito fa) hoje ele adora musica de qualquer tipo, ele danca tanto vendo musiquinhas nos desenhos como com as musicas que ouvimos, logo se interessa por coisas que fazem barulho e instrumentos musicais. Portanto acho q o tipo de musica nao influencia muito nao, e eu tbm tenho ótimas lembrancas de escutar asmusicas dos meus pais e quero q ele também as tenha. O importante é expo-los a musica.

    Um beijao

    • nivea

      Paula,
      Eu concordo que exposição à música é o mais importante.
      Um bj

  • Ernani

    Poderia ser pior… ele poderia gostar de Rihanna….. 😉
    bjo

    • nivea

      Ernani,
      Não tinha pensado nisso.
      bjs

Leave a Reply

Related Posts