Pretensões e Desabafos

Voto, sim

photo-19

Eu votei ontem. Saí de casa só para isso. Já é a segunda eleição presidencial que eu participo desde que mudei para a Irlanda (para quem não sabe estrangeiro só pode votar para presidente) e levei meu filho comigo porque tenho as melhores lembranças de acompanhar meus pais às urnas.

Levei também para que ele tenha esse costume desde pequeno já que aqui na Irlanda o voto é facultativo. Se tem uma coisa que eu gostaria que ele herdasse de mim é a vontade de participar do que acontece à sua volta.

Voto por ser minha obrigação? Longe disso.

Eu voto por dever e por prazer. Prazer em fazer a minha parte. Não sou do tipo que vai a um restaurante e deixa a outra pessoa escolher o prato por mim. Vou deixar então que alguém escolha quem governa o meu país? Não vou ao menos fazer parte dessa escolha? Vou ficar reclamando em rede social que o governo não presta? Aliás, tenho a sensação de que pelo menos os brasileiros que moram fora e mais reclamam são aqueles que não se deram nem ao trabalho de transferir seu título de eleitor. E aí, que direito você tem de abrir a boca?

Dizer que você não tem opção, me desculpem, mas me parece preguiça de correr atrás de informação de saber o que acontece um pouco mais longe do seu próprio umbigo.

Não faço esse tipo.

Faço o tipo que não foge a luta. Posso ter deixado o país mas o Brasil não me deixa. Está no meu sangue, está na minha cor, na lingua que eu reconheço como minha, na nacionalidade que eu passei para o meu filho.

Cada vez que eu voto eu penso em quantas pessoas foram presas, torturadas ou mortas (e nem faz muito tempo) para que eu pudesse exercer esse direito hoje.

Dele eu não abro mão.

E para quem não interessar possa, eu voto por um governo de mais igualdade social, de menos miséria e que cause muita ira na classe média mimimi metida a besta, porque eu me lembro muito bem (e mesmo que não lembrasse sou historiadora e o passado do Brasil é meu objeto de estudo) de viver um país do qual eu não me orgulhava.

N.

19 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
October 6, 2014
Next Post
October 6, 2014

19 Comments

  • Cintia Romano

    Que legal, Nivea!
    E acho que votamos na mesma pessoa 🙂
    Eu fico revoltada com o povo que vota branco/nulo/não vota e depois reclama! Perdeu a oportunidade de fazer a sua parte, né?
    Ah, off topic total, eu também tenho nome composto, sou a Cintia Maria! rs
    Beijão pra vcs!

    • Nivea Sorensen

      Eu concordo, Cintia.
      Em casa minha avó era Maria, minha mãe Teresa Maria, minha irmã Ana Maria, enfim, uma originalidade sem tamanho.
      x

  • Ingrid

    Oi, Nivea! Nossa, tem ja um tempinho que eu nao venho aqui, preciso me atualizar nos posts recentes… Mas a vida anda corrida e eu tenho a impressao de que os dias passam mais rapido aqui na Irlanda que la no Brasil hehe
    Eu nao votei porque teria que ter transferido meu titulo ate maio e ainda nao estava aqui… Mas acho que o voto do Brasil deveria ser facultativo assim como o daqui da Irlanda, e principalmente queria que as pessoas votassem com consciencia assim como voce fez.
    Eu, mesmo de longe e nao podendo votar, procurei acompanhar debates e noticias sobre… Infelizmente sabia que meus dois candidatos favoritos nao tinham chance hehe Quem sabe um dia!
    Beijos.
    P.S.: Sabado a tarde vi o E. e o I. no Tesco aqui em D4! Quase morri de amores e nem acredito que finalmente vi o ruivinho pessoalmente (ele e’ ainda mais lindo pessoalmente, ainda mais empurrando um carrinho colorido). Mas fiquei com vergonha de falar com eles e o I. me achar meio louca, sei la hahaha.

    • Nivea Sorensen

      Ingrid,
      Você está aqui como estudante não tem nenhuma obrigação de votar, acho que nem é possível já que a transferência é lenta.
      Ah, você devia ter dado um oi para o Erik 😉 Você mora aqui perto? Nós moramos pertinho desse Tesco.
      x

      • Ingrid

        Li que teria como ter votado “em transito” se eu tivesse cadastrado em um certo prazo… Bom, agora ja foi hehe
        Moro perto sim! Na Stillorgan Road, bem em frente a UCD, que e’ onde eu estudo.
        Da proxima vez darei um oi para ele sim. Espero te ver por ai tambem algum dia. Beijos!

  • Priscila

    Nao vejo sentido em votar para presidente se eu nao vivo mais la. A politica da Irlanda me interessa muito mais do que a do Brasil. Nao muda absolutamente nada pra mim se o PT ganhar ou qualquer outro partido. bjs

    • Nivea Sorensen

      Eu me interesso por política aqui também mas não penso em mim quando voto, penso no país, na maioria das pessoas. Isso não muda, não importe onde eu more. De fato a minha vida em si não muda nada.
      x

  • Ivna

    Admiro seu entusiasmo, Nivea. Eu tenho mais vontade de votar pras eleicoes locais do que na presidencial, e nessas nao podemos votar. Acho que esses cargos fazem mais diferenca de uma forma pratica pra minha familia. Voto obrigatorio pra mim eh de doer, e so posso me rebelar nao participando. Pode nao ser eficiente nem bonito mas eh o que da pra mim. Beijos

    • Nivea Sorensen

      Ivna, eu entendo perfeitamente. Ah, e concordo que as eleições locais são de extrema importância. Eu prefiro usar o voto como maneira de me expressar, mesmo que ele não faça diferença.
      x

  • Manu Maia

    Oi Nivea!
    Eu tbm sempre votei com vontade e orgulho, mas tenho que admitir que ontem foi dificil, viu…
    Assim como vc, tbm votei por um governo de maior igualdade social, menos hipocrisia e rabo preso. Eu fui lá e fiz minha pequena parte, apesar de já saber que não venceria.

    Beijo

    • Nivea Sorensen

      Manu,
      Eu acho que dizer o que se quer importante, mesmo sem chance de vitória.
      x

  • Luciana - Canada

    Isso ai Nivea! Acho que qualquer pais precisa de gente que nem voce, que queira participar, que se envolva. Tambem acho que quem vota nulo/branco nao pode reclamar, eh por isso que ninguem ve um post meu sobre a politica do Brasil. Eu voto por pura obrigaçao, nao vejo o menor sentido de votar pra presidente de um pais que deixei ha quase 6 anos e que nao vou voltar.
    Enfim, acho que pra quem mora fora deveria ser opcional e tambem bem menos burocratico pra quem quisesse votar. Tenho amigos aqui que chegaram depois do prazo pra transferencia de foro e queriam muito ter votado. Enfim, nao da pra ser justo com todo mundo, ne?
    Torço para que o Brasil cresça, que as diferenças sociais sejam minimizadas e que ele se torne o mais justo possivel.

    ps. E antes que alguem diga que tenho familia no Brasil e por isso deveria me envolver e votar, ja vou adiantando que tenho familia (muita gente) em Portugal, Israel e USA. Ja pensou?? 😛

    Um beijo pra vcs 4! (E eu me coçando pra saber se teremos mais um ruivinho ou uma ruivinha!)

    Lu

    • Nivea Sorensen

      Lu,
      Eu entendo. Não moro mais lá e também não me vejo voltando (pelo menos não até o Ian se aposentar e os filhos estiverem grandes) mas eu penso muito em quem ficou, não tem jeito, e não estou nem falando só de família.
      Ruivinho, ruivinha, loirinho, loirinha, moreninho ou moreninha, vai saber, né? Milhões de combinações possíveis 😉
      Beijos em vocês sempre

  • Thais

    Também gosto de votar e de todo processo eleitoral, me interesso tanto que sou mesária voluntária há alguns anos e não me arrependo.
    Claro que nem sempre é fácil escolher um candidato e ter estômago para escutar certas declarações (não gosto nem de lembrar dos debates) , mas penso que não é reclamando que vamos fazer um país melhor.

    E mesmo se um dia morar fora do país, quero continuar votando. Não é porque moro em outro lugar que deixarei de ser brasileira, não é?!

    Belo texto, um abraço

  • Lorna

    Que texto lindo, fiquei arrepiada. Fiquei com inveja também por não ter conseguido votar. Transferi o título e tudo, mas seriam 16hs dentro de um carro. Ainda contemplamos a possibilidade, mas infelizmente com todas as dores na coluna, na virilha e na perna (nossa, como dói!), meu marido disse que viajar não seria uma opção. Quem sabe em novembro….

    • Nivea Sorensen

      Lorna, eu não levei em consideração a realidade de outros brasileiros que não moram na capital e que tem fácil acesso ao local de votação. 16 horas num carro não sei se eu encararia.
      Um beijo

  • Peca

    Lindo post, Nívea. Bateu um pouco de culpa, pois até hoje não transferí meu título. Estás de parabéns! 🙂

Leave a Reply

Related Posts