Pretensões e Desabafos

Tudo errado

E. está gripado, como eu já contei.

E ontem o dia começou com I. completamente exausto (ele ficou com o filho até as 3 da manhã enquanto eu dormia) e eu morta de culpa (porque ele ficou com o filho até as 3 da manhã enquanto eu dormia).

Antes do café-da-manhã me vi com a maior dor de cabeça do mundo (um princípio de enxaqueca), sem remédios e sem querer sair de casa com o babóg tão aborrecido e dodói.

Nem tão aborrecido e dodói assim, já que ele encontrou energia para esfregar carvão da lareira no meu carpete creme que eu tinha acabado de limpar (aproveitando para comer um pouco, claro).

Gritei com ele. Me arrependi.

Limpei o menino. Limpei o carpete de novo.

Fiz um bolo que ficou pequeno demais para o que eu queria. Ou seja, tive que lavar tudo o que eu sujei e fazer outro bolo (se eu ao menos tivesse aumentado a receita da primeira vez…).

Um fusivel estourou, fez um barulho explosivo quase me matando de susto e me deixou sem luz na metade da casa. Liguei para o marido e perdi um tempo enorme tentando consertar o estrago.

E. tentou enfiar giz de cera nas tomadas (já que eu tive que tirar todos os aparelhos que estavam ligados).

Gritei com ele. Me arrependi depois.

Aí E. dormiu e eu, que poderia ter ido para cama também, resolvi que tinha que fazer panettone. Mesmo sabendo que não ia sair nada parecido com panettone (eu sabia, mas preferi arriscar). Demorou horrores para ficar pronto, deu muito trabalho, fez muita sujeira e não ficou nada parecido com panettone (como eu já sabia, não disse?). Virou pão. E só de raiva eu comi uns 3 (pequenos).

Não gritei comigo mesma, mas deveria. Me arrependi depois.

E. acordou, quis colo, chorou. Aguentei a dor de cabeça para assistir com ele desenhos que eu não suporto (só eu tenho vontade de dar uns tapas na cara da Dora, The Explorer e dizer pra ela onde enfiar aquele mapa em bom inglês/português E espanhol?).

Então ele quis desenhar. Ou melhor, ele quer que EU desenhe para ele pintar. Não pode desenhar qualquer coisa, não. Ele manda: car (carro), bo (ônibus), má (a mamadeira que eu chamo de mééé), nana (banana), papai e mamãe. E a Peppa Pig. Eu não sei desenhar. Eu odeio desenhar. E não é uma vez só, são infinitas.

Depois dei janta pra ele. Brincamos. Dei remédio para febre, para dor e coriza e outro para a tosse (sabe o trabalho que dá dar remédio para um bebê nessa idade?). Fiz o jantar. Limpei a cozinha. Brincamos. Fiz bolinhos de coco e abacaxi. Brincamos mais um pouco. Limpei a cozinha de novo. Brincamos mais.

Parecia um looping infinito até marido chegar em casa com meu remédio e ajudar a entreter o filho.

Dia longo, dia daqueles, mas nem isso me deixou de mau-humor.

Ou seja, tem algo muito errado comigo. Pode escrever aí.

N.

6 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
November 14, 2012
Next Post
November 14, 2012

6 Comments

  • Priscila Santos

    Não tem não, as vezes queremos mandar tudo para os ares, mas nm sempre dá……então como a maioria das mães temos paciencia de sobra. escapa um grito ou outro, mas normal.
    No fundo o amor que temos por nossos pequenos é tão grande que acabamos nos deixando de lado so par ve-los bem e feliz(principalmente qdo estão dodois)……
    beijos em vc e no E.- que esta cada dia mais lindo!!!!

  • Mari

    Ni, na Euro 2 acho que tem aqueles desenhos prontos pra criança pintar, sabe qual? De repente o E. anima.
    Boa sorte e melhoras!
    😉

  • Luciana - Canada

    Força ai Ni.
    Tem dia que devia acabar sem antes mesmo de começar…
    Melhoras!
    🙂
    Beijao

Leave a Reply