Pretensões e Desabafos Vida na Irlanda

Amélia motorizada

Baby you can drive my car
Yes I’m gonna be a star

(The Beatles)

 

Ai que emoção! Meu primeiro passo rumo a minha independência automobilística foi dado hoje. Daqui para frente vou ser uma estrela das ruas dublinenses e já me vejo dirigindo meu conversível importado por entre casas georgianas e sob o céu cinza desse pais que eu chamo de meu.

Agendei minha prova teórica! Pois é, aqui antes de dirigir tem que fazer a prova com umas questões chatas para burro que eu não consigo memorizar nem por hipnose. Depois de mais de dois anos de embromação eu resolvi tomar vergonha na cara, pagar os €45 de taxa e marcar a prova de uma vez por todas. Sim, porque eu só funciono sob pressão.

Agora só falta estudar, passar na prova, esperar minha licença provisória chegar, fazer umas aulas na auto-escola, aprender a dirigir, praticar, agendar a prova prática, passar, esperar minha habilitação chegar, tomar coragem de dirigir sozinha e ganhar o carro conversível do marido.

Só isso.

Motoristas de Dublin, aguardem-me.

N.

18 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
June 26, 2012
Next Post
June 26, 2012

18 Comments

  • grace

    ahhhh só isso??? hihihihi
    Boa sorte!

  • Satya

    Aqui na inglaterra a provable teorica tem que ser feita somente antes da pratica. Eu comecei ha uns dois meses e ja estou dirigindo por ai, nao foi Tao dificil qt pensei. Agora preciso marcar a teorica e fazer a pratica, imagino a parte mais dificil, assim vou poder andar livre por ai sem ter q ter um motorista acompanhando!
    Mas vale muito a pena esse esforco, eh tao mais facil colocar o bebe no Carro e ir embora! Sorte na sua prova.
    x

  • Mari

    Aeee!!! Olha a Gre, minha roommate, fez a prova praticamente sem estudar e disse que foi mole, mole. Quem arrumou tudo foi a mãe das crianças que ela cuida e ela ganhou pra estudar, além do livrinho, um DVD que fez toda diferença. Arruma o DVD pra você também!
    Beijoca e boa sorte!
    Ahhh, e quem sabe quando eu voltar pra Dublin você num vai me buscar no aeroporto de carro? Hahaha

    • Nivea Sorensen

      Mari, é um cd-rom que você tá falando, mas é só para PC. Eu sou obrigada a estudar por um livro muito chato mesmo.
      Beijos

  • Didi

    Nívea, vai fundo. E digo isso com propriedade.
    Senta que lá vem história: Sempre tive medo de dirigir. Tinha tentado tirar carta uma vez, mas não passei e desisti bradando que não tinha nascido para aquilo e ser reprovada era a prova cabal. Mas aí, depois de muitos anos, resolvi tentar de novo. Com a carta de habilitaçaõ nas mãos passei a treinar, treinar e treinar até que: pimba! engravidei e parei. Tinha medo de passar pro bebê todo medo e insegurança que sentia dirigindo. Larguei mão. Dependi de mãe, marido e irmãos para ir trabalhar no final da gravidez em que andar de metrô e ônibus ficava cansativo demais. Tive o Arthur e fiquei seis meses de licença. Vez ou outra falava em dirigir, mas cadê coragem de sair com a criança no carro? Zero!
    Até que um dia de dezembro por um motivo bobo discuti com o marido e resolvi pegar a chave do carro e ir até a casa da minha mãe, que fica a 5 quadras de casa, levar o Arthur. Queria minha liberdade e independência de volta já que desde setembro, quando voltei a trabalhar, dependia de mãe ou marido para deixar a cria na casa da vó antes de seguir pro trabalho. E assim foi. Cheguei lá viva depois do carro morrer trocentas vezes, mas cheguei. E daí teve a volta. E cheguei viva na volta também. E aí tentei mais um dia e mais um e mais um até que resolvi ir até o trabalho. E cheguei. E então fui deixando o medo de lado e ia cada vez mais longe. Hoje dirijo para todos os lados, com ou sem o Arthur, e nem lembro mais que sentia medo.
    Aliás, fico pensando: Nossa, mas por que eu tinha tanto medo? Por que eu achava que era tão difícil? A melhor parte de dirigir não é só ter a liberdade de ir e vir, mas ter a vantagem de poder levar o Arthur para passear porque sem dirigir dificilmente faria alguns passeios rotineiros com ele – ou faria, na dependência de alguém.
    Vai fundo e que a força esteja contigo!
    Juro que vou ficar aqui na torcida e se precisar de um incentivo é só me procurar.
    beijos

    • Nivea Sorensen

      Didi,
      Obrigada por contar sua história. Eu escrevi o post bem na brincadeira, mas no fundo eu tenho um pouco de medo também. Talvez medo de ter medo. Vamos ver no que dá.
      Um beijo grande

  • Silvana

    Altamente clichê, mas lá vai:

    Com o tempo fica fácil, fácil. Tão fácil que você se pega fazendo a besteira de comer, falar ao telefone e maquiar enquanto dirige… (muito feio isso!).

    Boa sorte!

  • Liza

    Vc vai tirar de letra, Nivea!!!
    Eu fiz a teórica e aqui passando na teorica tu tem dois anos pra fazer a pratica. Dai comecei a enrolar mas o bofinho disse anteontem pra mim que duvida eu tirar a carteira antes de agosto. Fui desafiada. Vamos ver se eu consigo.

    Beijo e boa sorte pra você!!

  • Thaísy

    Estou trilhando esse rumo também… não pela “independência automobilistica” (rsrs), mas pelas crianças… não suporto ver meus filhos andando em ônibus lotado como é o de Goiânia onde moro! Sorte no trânsito e nas provas!

    Um beijo!

  • Ernani

    Jisuis!!!!! =P

  • priscila santos

    Boa Sorte!!! vai dar tudo certo e não faça como eu, que tem carta e nem dirige!!!!
    beijos

Leave a Reply

Related Posts