Pretensões e Desabafos

Desm(ã)emoriada

(Ou A Memória Seletiva Das Mães)

Alguns dias depois que o E. nasceu minha mãe me viu pelo Skype. A primeira coisa que ela me disse foi :”nossa, como você parece cansada! Você não dorme, não?”

Eu tinha acabado de parir (no sentido literal, já que eu não tive uma cesárea), de passar dois dias num quarto de hospital com outras 7 mulheres, cuidando sozinha do meu primeiro filho, me recuperava de uma episiotomia que mal me deixava sentar, tentava amamentar, tentava me adaptar àquele mundo de novidades. O engraçado é que minha mãe já tinha passado por tudo aquilo.

Foi aí que eu percebi que mãe esquece. Ou melhor, esquece o que é melhor deixar esquecido.

O que eu não sabia é que a gente esquece rápido. Bem rápido.

E. me acordou às 6 da manhã porque queria uma chupeta (que ele chama de “pepe”). Ele voltou a dormir, eu não. Quando estava quase conseguindo ele acordou de vez, às 7h30. Levantei e percebi que o músculo das costas que eu machuquei há alguns dias têm piorado e mal podia andar. Levei quase 20 minutos para trocá-lo porque ele não quer ficar quieto, tomei várias cabeçadas, chutes e tapas e ainda tive que correr atrás dele para colocar a blusa. Me irritei logo cedo.

Depois ele começou a resmungar de fome enquanto eu fazia o café-da-manhã dele. Ele sabe esperar? Não, né… Eu na pia, ele me puxando a camisola, chorando. Mesmo assim fiz panquecas (vê só) e de novo corri atrás dele para colocá-lo na cadeira para comer. Outro drama. Quando ele terminou fui obrigada a pegar os pedaços de panqueca do carpete, ao redor da mesa, e de dentro do radiador.

Enquanto eu fazia uma xícara de café para mim ele espalhou TODOS os carrinhos, peças de lego e blocos pela sala e cozinha. Tropecei num e quase cai. Morri de susto.

Tudo isso me lembrou de tomar o anticoncepcional (que desde que o E. virou um terror eu tomo religiosamente no mesmo horário) porque deus-me-livre de ter outro e passar por tudo isso todos os dias da vida, em dobro. Pensei comigo que ser filho único não é tão ruim assim e tem lá suas vantagens. Que eu não vou engordar de novo, ter que emagrecer de novo, sentir aquela dor, viver aqueles primeiros dias de caos novamente. Que daqui há pouco ele vai para escola e eu volto a ter tempo livre. Que não vamos gastar dinheiro com fraldas em breve. Fiz planos com o dinheiro que a gente não vai gastar com o segundo filho, roteiros de viagens para nós dois (E. grandinho vai poder ficar na minha sogra), decorei mentalmente o quarto de um filho só.

Aí voltei para a sala. E., que eu tinha deixado assistindo a Galinha Pintadinha no iPad, dançava e cantava imitando os sons e as coreografias do DVD. Fiquei ali olhando, quase chorei de ver meu babóg tão crescido.

Por que mesmo eu não queria engravidar de novo? Já não me lembro….

N.

32 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
January 17, 2013
Next Post
January 17, 2013

32 Comments

  • Ananda Etges

    Acredita que aqui, mesmo com 2, já me pego pensando em um terceiro (e um quarto)? Eta memória ruim, pq se eu lembrasse o início com 2… nunca mais teria filhos!

    Beijos!

    • Nivea Sorensen

      Se eu me lembrasse como foi com um só, não teria nem o segundo, Anada. Quem dirá um terceiro.
      x

  • Didi

    Sabe que ainda não tenho coragem de encarar outro? Digo, sem parar, vai ser só um. Não quero mais. Dá trabalho, dá gasto, exige atenção, exige carinho, exige cuidado. Chega. 1 tá bom demais pros meus dois braços e meu coração de mãe.

    • Nivea Sorensen

      Didi,
      Acho que o fato de morar por aqui onde não é comum ter um filho só me influencia um pouco. E outra, acho que no Brasil é muito mais difícil criar filhos.
      x

  • Daniela

    Nívea, sofro do mesmícimo mal, menina!!!!

    Eu até lembro dos dias pós-parto (confesso que me dá até dor de estômago só de lembrar dessa época horrorosa), mas depois eu penso que amo tanto aquele serzinho e que é tão lindo acompanhar o seu desenvolvimento, que é tão gostoso, que é tão bom, que tudo é tão lindo e que não há sofrimento algum…. e me dão um tapa na face, né?

    eu até já pergunto pra Laura se ela quer irmão ou irmã…. mesmo que eu só possa engravidar novamente daqui 2 anos…

    não custa planejar.

    quero muitos mais!!!

    beijos!

    • Nivea Sorensen

      Dani, eu planejei muito enquanto precisa esperar para engravidar. Agora que eu posso ando pensando duas vezes.
      x

  • Danielle Koivisto

    aw =) lindo texto Ni … fiquei tentando imaginar o E. dancando *-* fofura!!

    • Nivea Sorensen

      Danielle,
      Logo mais é a sua pequena quem vai estar dançando. Passa tão rápido =)
      x

  • Beatriz

    Ai menina, me pego todo dia nesse mesmo dilema de esquecimento… se me perguntassem no pós-parto se eu teria outro, eu diria: Jamais!
    Hoje já penso se não vale a pena passar as 2 fases dos babies juntos… acho que preciso me focar mais nas contas.
    Aliás, adoro seu blog e o leio sempre, mas deve ser a 2ª vez que eu comento.

    • Nivea Sorensen

      Beatriz, obrigada!
      Eu também me lembro dizendo no pós-parto que nunca teria outro.
      x

  • Bruna Dalfré

    Nívea, passo por esses mesmos momentos e tem hora que acho que um só está ótimo!!Mas tem hora que eu quero engravidar novamente, ai parece que vivemos uma bipolaridade, hora queremos, hora não, é incrível!!

    Só o tempo para nos ajudar….
    Mas você já imaginou uma irmãzinha de cabelinho vermelho para E. Seria lindo!

    Beijos

  • Priscila Santos

    Muito bom!!!! é realmente desse jeito…..
    beijos e saudades
    Ah! e so para lembrar………ele esta cada dia mais lindo!

  • ka smith

    O que fazer com uma mãe de três que pensa em mais um? interna?

  • Ma

    Eu acho que é normal a gente ficar com saudade de quando eles são pequenos e dependem da gente, apesar de todo o estresse do início. Vc vê aquele bebê virar gente que lê , escreve, dança, é realmente extraordinário! Eu sempre achei que a Ju fosse ser filha única, porque passei muito perrengue no começo, morando longe da família, essas coisas. Aí um dia olhei pro marido e disse: Que tal? Tomamos coragem de novo e taí a Laura pra contar a história, que foi mil vezes mais fácil do que a primeira em termos pós-parto. Mas se a gente pensar sempre no bebê não para nunca! Pra mim, duas está ótimo e não sinto mais saudades de nada, vou curtir as próximas etapas. (PS: Sou filha única, e nem é tão ruim assim 🙂 Bjs

    • Nivea Sorensen

      Ma,
      Acho que é verdade que se pensar só no bebê dá vontade de ter uma meia dúzia.
      x

  • MarianaSpil

    Eu nem tenho filhos ainda, mas queria tanto ter logo! Rsrs. Todo mundo diz que da saudades de alguma coisa: há as que dizem que dá saudade do barrigão, há as que dizem ter saudades do recém nascido, há as que dizem ter saudades de quando não tinha filho e podiam dormir e acordar quando quisessem, comer a comida quente, etc. Bom, acho que cada etapa tem sua magia e se a gente focar apenas nos pontos negativos de cada uma, deixamos de aproveitar o resto!

    • Nivea Sorensen

      Mariana,
      Eu tenho saudade de tudo isso aí. E tomar um banho bem demorado durante o dia, então…
      x

  • Liza

    Ah que fofo. Faz mais um sim, dizem que eles brincam entre eles dai vc terá um tempinho (bem inho) pra vc 😉

    Beijos

    • Nivea Sorensen

      Liza,
      Eu digo a mesma coisa para o marido. Aí ele me lembra que vai demorar pelo menos um ano para eles brincarem juntos.
      x

  • Cintia

    Esquece rapido, ne? Aqui eh assim, um dia eu quero engravidar de novo, outro dia eu nao quero nem pagando… 🙂

  • Laiza Costa

    Ni eu não tenho filho, mas posso te dizer uma coisa com toda certeza do mundo. Toda fase ruim que você passou, será compensada, com sorrisos, gestos, beijos, abraços . . . Tudo é fase.
    E lembre-se da da sua única irmã, o que seria sem ela?
    Tenho certeza que o E. vai adorar um irmão ou irmã.

    Beijos.

  • Grace

    oummmmmm… é bem assim mesmo!! a minha pequerrucha já vai fazer 2 anos e dá uma saudaaaaaaaaaaaaaaaaade…. só que não!!!

  • Camila

    Quanto eu era criança queria irmãos. Depois vi que filho único tem vantagem em certas coisas. Agora, adulta, às vezes sinto falta de ter irmãos. Queria só um.

    Minha mãe deve ter boa memória, porque só me teve.

    • Nivea Sorensen

      Camila,
      Além da boa memória sua mãe é brasileira, né? Aqui na Irlanda não existe essa coisa de filho único, não.
      x

  • Satya

    Esquece mesmo, qd eu estou tendo um dia bem dificil com as criancas, penso q preciso anotar todos os motivos porque nao ter mais um antes que a amnesia de mae venha e eu soh lembre dos dias bons! x

Leave a Reply

Related Posts