Cataploft!


A mãe é que é uma desequilibrada mas foi o babóg que foi parar no chão.

Pois é, E. caiu da cama. Não se machucou, claro, porque se não eu não estaria aqui contando dessa maneira. Mas caiu e quase me mata de susto. Culpa toda minha porque I. já vinha dizendo faz tempo que qualquer dia isso ia acontecer.

Nesse último mês E. passou a ser um babóg móvel, se vira para tudo quanto é lado, não para quieto um só segundo, se arrasta feito uma minhoquinha. Por essa razão todas as sonecas dele durante o dia passaram a ser no berço.

Acontece que desde que saímos de casa ele tem dormido nesses travel cots, que parecem cercadinhos, e não gosta. Chora, se debate, perde o sono. Então andei deixando que durante o dia ele dormisse na nossa cama, que é enorme, cercado por milhares de travesseiros. E a cada 10 ou 15 minutos ia olhar como ele estava.

Ontem, enquanto lavava louça na cozinha o ouvi chorar. Alto. Gelei. E. praticamente não chora. Quando acorda, o máximo que eu escuto é ele falando na lingua dele. Corri para o quarto, já sabendo o que tinha acontecido, e não o vi na cama. Estava no chão, bem próximo a mesinha de cabeceira, com as mãozinhas no chão e a cabeça olhando para cima, assustado.

Com dois minutos de colo ele já tinha se acalmado. Eu não. Procurei por hematomas e não encontrei nada. Como ele não chorou mais, comeu e dormiu normalmente então me convenci que ele estava realmente bem.

Eu? Bom, eu AINDA não me recuperei do susto.

N.

PS. Dessa história eu tiro 3 lições: 1) NUNCA deixá-lo sozinho na cama; 2) I. às vezes está certo, e 3) preciso comprar um kit de primeiros socorros (just in case) e fazer um curso antes dele começar a andar.

Pra quê?


Pra quê deixar a meia no pé se você pode tirar e por na boca?

Pra quê tomar a mamadeira toda de uma vez se você pode ir tomando aos pouquinhos com intervalos para brincar com a blusa da mãe, a mão dela, a sua própria mão, a mamadeira, o babador, e tudo mais que você puder alcançar?

Pra quê ficar só deitado se você pode virar e desvirar, e virar e desvirar, até cansar, ficar preso numa posição e chorar?

Pra quê ficar em silêncio quando você pode gritar até ficar roxo?

Pra quê deixar a mãe cortar sua unha se você pode deixá-la maluca tentando pegar o cortador da mão dela e tentando enfiar a mão na boca?

Pra quê esperar a próxima fralda ser colocada se você pode fazer xixi ali mesmo, no trocador, e mirar bem no espelho do quarto?

Pra quê esperar pela próxima colherada de papinha se você pode morder a mesa enquanto espera?

Me diz, pra quê?

Quando é que a vida deixa de ser tão divertida, hein?

N.

Doce ou travessura?


Happy Halloween e bom feriado para quem está na Irlanda!

N.

PS. Hoje é o último dia para particpar do sorteio! Corre que ainda dá tempo.

Aprendizado


O meu filhote de irlandês tem  só 6 meses e eu, que nunca tinha convivido com um babóg dessa idade antes, me surpreendo com a quantidade de coisas que ele já aprendeu desde que nasceu vermelho, pequeno, inchado e meio feinho (por favor, não conta pra ele!)

Aprendeu que o nome dele é E. Pode chamar, em português ou inglês, ele atende.

Aprendeu a nos reconhecer: pai e mãe ganham sorrisos sempre, estranhos ganham cara feia e até choro. Aliás, aprendeu a sorrir, a rir, a gargalhar.

Aprendeu a reconhecer a mamadeira e abrir a boca assim que ouve o barulhinho da tampa sendo retirada. Também sabe que a colher é sinal de que vem frutinha pela frente. Aprendeu a comer.

Aprendeu a gostar de mamão e de banana, e fazer cara feia para purê de batata (filhote de irlandês fajuto, será que veio do Paraguai?). Aprendeu a tomar suco no copinho.

Aprendeu a utilizar as duas mãozinhas para pegar objetos. Aprendeu a por tudo na boca. Tudo, inclusive as meias que ele tira do próprio pé.

Aprendeu a brincar com os pés.

Aprendeu a por e tirar a própria chupeta.

Aprendeu que chama minha atenção com gritinhos histéricos.

Aprendeu a fazer manha na frente do pai.

Aprendeu novos sons e fala na lingua dele o tempo inteiro.

Aprendeu a brincar.

Eu, como toda mãe abestalhada fico ainda mais boba quando percebo que ele aprendeu qualquer coisa nova. Mas no fundo, no fundo eu só queria saber com que idade ele vai aprender como é bom dormir até um pouquinho mais tarde no fim-de-semana.

Quantos anos até que ele aprenda que as manhãs de sábado e domingo foram feitas para serem desperdiçadas na cama?

Quanto tempo?

N.

PS. tá bom que ele dorme 11 ou 12 horas por noite, noite inteira, e eu nem deveria estar reclamando. Mas estou com uma saudade de dormir até mais tarde….

Uma rapidinha e uma risadinha


Alguém resiste a risada de bebê? Alguém, alguém? Aumenta o som aí e depois me conta.


 

N.

PS. hoje ele faz 6 meses e eu estou mais do que enrolada tentando voltar à nossa rotina que ficou toda bagunçada depois do corre-corre com passaportes, vistos, aniversário e visita dos sogros.