Filhos & Família

Lia { 3 meses de vida e o refluxo }

Minha Lia completou três meses no último dia 24 (de fevereiro) e desde que ela nasceu não se falou mais dela por aqui. Aliás, desde que ela nasceu não falou-se de praticamente nada por aqui. Foram dois míseros posts desde então (e um mimimi no Facebook) e tirando isso o blog ficou largado mesmo. 

Confesso, o único motivo para isso foi falta de tempo. Para jogar bem a real mesmo e ajudar a acabar com o mito da maternidade propaganda de margarina, desde que a  Lia nasceu, nem é todo dia que eu consigo tomar banho (ainda bem que eu moro num lugar frio, hein?). Quem dirá escrever.

Acredite, a vida com três com menos de seis que teoricamente já não é fácil, é quase enlouquecedora quando a menor das criaturas passa a maior parte do tempo aos prantos (ainda que eu conte com ajuda).

Ou melhor, passava. Como você pode ver ler, eu estou aqui escrevendo, então é porque na verdade as coisas já melhoraram (e eu até já tomei banho hoje). A máxima do “vai passar” finalmente se abateu sobre nós.

Acontece, minha gente, que a Lia tinha refluxo. Refluxo silencioso, aquele mais difícil de ser diagnosticado. Então, com muita dor, a pequena passava o dia inteiro gritando e a gente passava o dia com ela no colo, andando, balançando, sacudindo, tentando acalmá-la e tentando não enlouquecer (eu sem muito sucesso). As crises eram diárias e chegavam a 6 ou 7 horas de choro ininterrupto.

Além disso, à noite, ela não dormia no bercinho ao lado da minha cama. Ela só dormia comigo, nos meus braços. Contra todas as recomendações médicas fui obrigada a dormir com ela na cama, para que eu pudesse ao menos cochilar (porque dormir mesmo não dava). Vale lembrar que no mesmo período a Elena também vinha para nossa cama todas as madrugadas.

Eu, achando que era só cólica, aquela coisa normal que alguns bebês sentem nos primeiros meses, troquei de fórmula, tentei aqueles remédios básicos para dor e gases, chorei junto mas no fundo passei um bom tempo só esperando que passasse logo. Depois achei que era o intestino preso e levei à médica. Por recomendação dela tentamos dar água (até açúcar), e nada resolvia.

Numa segunda consulta (ela já tinha mais de dois meses) comentei com a mesma médica (clinico geral, não pediatra) que achava que aquele choro desesperado só podia ser de muita dor. Ela então resolveu receitar um remédio para refluxo e dias depois a Lia já era um bebê completamente diferente.

Depois que iniciamos a medicação aqueles períodos longos de muito choro se foram, ela começou a sorrir, passar alguns minutos do dia sentada na cadeirinha ou deitada no tapete de atividades.

Ela ainda é um bebê que me dá muito mais trabalho nessa fase do que Erik e Elena deram. Durante o dia, por exemplo, precisa fazer as sonecas grudada na gente e dificilmente dorme sozinha ou por longos períodos. Se está acordada também quer mais colo do que eu estava acostumada a dar. Mas está feliz, e é só isso que importa.

À noite, felizmente, ela dorme por mais de 10 horas seguidas, no bercinho, sozinha, sem drama.

Dorme tanto que eu tenho que acorda-la de manhã para levar o Erik para a escola.

Passados esses primeiros meses eu tenho finalmente a sensação de que a tempestade se foi e começamos uma nova fase por aqui. Uma fase que eu preciso aproveitar muito, mas muito mesmo, já que ela não se repetirá.

Minha caçulinha está crescendo, gente.

Que delicia de ver.

N.

9 Comments

38 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
March 7, 2017
Next Post
March 7, 2017

9 Comments

  • Vanilde

    Olá querida, que bom passou a tempestade, agora podes curtir a bebezinha linda. Sou sua fã, leio se blog já faz algum tempo. Grande abraço, beijos para as crianças.Aqui de Curitiba-PR.

  • grace

    Meu Deus como ela é linda!! E que bom que descobriu e acabou o sofrimento da pequena. Grande beijo, Grace

  • Jamile

    Ainda bem que descobriram pois é ruim demais, tadinha! Ela está uma fofa. Beijos

  • Gabriela

    Nivea, parabens pela linda familia. Quero dizer que admiro muito a sua força e seu modo sempre positvo de superar as adversidades da vida. Um abraco!

  • Bruna D

    Oi Nivea!!! Olha so quem tem tres pequenos sabe como e, eu lendo me vi igualzinha voce nessa fase! Agora o meu terceirinho esta com 8 meses e ja consigo lavar meus cabelos!! KKkkkk
    Qando a Lia começar a sentar ja vai melhorar muiiiiiiito!!!!!!!
    Muita paciencia!!!!!Bjus

  • Ana Cláudia

    Oi Nivea?
    Lia é muito linda ? Que bom que as coisas estão se ajeitando pra vc. Aqui tbm tivemos um início tenso de muito choro, horas seguidas sem parar. Depois de alguns remédios pra cólicas, sem sucesso, descobri q era aplv e tinha refluxo tbm. Aos 4 meses iniciei dieta e medicação pra refluxo. Em 1 semana Gabi era outra bb.
    Desejo dias de sol e alegria daqui em diante pra vc e família! E quando vier a tempestade, q seja amena e mto breve .. beijos , Ana.

  • TAMIRIS RODRIGUES DA COSTA MARTINS

    Parabéns, Nivea. A Lia é linda e vc é uma excelente mãe, um exemplo para mim! Realmente a tempestade passou e como vc disse, tudo é fase, o importante é perseverar e respirar fundo. Que bom que vc conseguiu sair bem dessa fase difícil e, afinal, que puerpério que é facil, né?

    beijos e eu já estava ansiosa para te ouvir falar (ou quase isso!)

    Tamiris

  • Maria

    Agora imagina esse sufoco com vc cesariada?
    Fiquei com muita peninha dela e de vc, tem de ser mesmo muito forte, muito mulher e muito mae para nao deixar se desesperar. Eu tbm me lembro que odiava ouvir isso… Vai passar, que aos 3 meses iria passar os choros intermiáveis, achava tres meses uma eternidade e que até la estaria morta e fiquei apenas com um. Nessa época tbm jurei que nunca mais teria outro bb. Rsrsrs Que bom que passa e ainda sentimos saudades. Aproveite bastante então a Lia que é linda de viver!!! Sorte a sua que ela dorme bastante agora!

  • Kelly Resende

    Oi Nivea,
    Minha filha também teve refluxo silencioso e chorava por horas sem parar, aquele choro de dor, logo depois que mamava, era desesperador. Fiz uma verdadeira maratona médica pois ela também não ganhava peso e nenhum médico acertava. Até que finalmente acertei com um pediatra que conseguiu resolver o problema, aí tudo mudou. A diferença da sua Lia é que a minha Clara foi dormir a noite toda com 2 anos de idade! rssss
    Abraços e parabéns pelos filhotes, são todos lindos!

Leave a Reply