Gravidez Produtos e afins

O que faltava

Até a semana passada eu não tinha comprado absolutamente nada para o bebê número 3.

Quer dizer, comprei uma máquina de fazer mamadeiras (isso mesmo) para evitar descer as escadas no meio da noite para preparar ou pegar da geladeira. Mereço.

Aliás, coisa mais esquisita ter que comprar qualquer coisa para um bebê de número 3, né? Ainda mais quando já se tem um menino e uma menina Mas a verdade é que por conta de não ter sido uma gravidez planejada eu já tinha me livrado de praticamente tudo o que eu tinha guardado. Tirando, é claro, os items que a Elena ainda usa.

As roupas do Erik foram doadas. As da Elena eu guardei as mais novinhas, todas muito rosa, muito cheias de florzinhas ou borboletinhas, tudo muito menina. Não sobrou nada, nada neutro, para levar para a maternidade ou para vestir um menino posteriormente (mas com isso eu vou me preocupar depois).

As únicas coisas que eu ainda tinha eram uma banheira de plástico (vou usar só nas primeiras semanas) e um trocador (que ainda não voltamos a montar). Temos um moisés também, que na verdade é emprestado, tem mais de 40 anos e usamos com o Erik e Elena. Esse está com a minha sogra, que vem nos visitar nesse final de semana, e ela já se encarregou de comprar colchão, lençóis e etc.

Ganhei muitas roupas no chá-de-bebê, a maioria de tamanho maior, então acabei precisando comprar um conjunto com três macacões de recém-nascido para dar conta dos primeiros dias. Também comprei aqueles paninhos para colocar no ombro enquanto o bebê arrota ou para limpar a boca, o que foi suficiente para fechar a mala de maternidade.

Faltava um carrinho e precisava ser duplo. Eu e o Ian já havíamos dado uma olhada nas lojas por aqui e decido comprar um modelo x, evitando pagar uma fortuna para algo que não vai ser usado muito, nem por muito tempo. Não era um modelo que me agradava muito, mas honestamente me recusaria a pagar quase €2000 num carrinho, a não ser que fosse meu primeiro e eu tivesse intenção de reaproveitar com os próximos filhos, o que não é o caso.

Daí no último sábado Ian sugeriu irmos até a Irlanda do Norte para dar uma olhada nos preços por lá (que são quase sempre mais em conta). Eles tinham outras opções de carrinho, algumas muito mais baratas (não gostei de nenhum) e acabamos gostando muito de um que custava mais do que a gente estava disposto a pagar a princípio, mas ainda menos do que os modelos mais caros. Esse pelo menos pode ser usado diretamente com a cadeirinha do carro e oferece diversas opções de lay-out, além de parecer prático de manobrar e desmontar. Era exatamente o que a gente queria (é esse da foto que ilustra o post).

Já que estávamos por lá aproveitei para comprar uma toalha nova (as da Elena já estão bem velhinhas) um swaddle (para deixar o bebê enroladinho) e chupetas (já sabendo que dessa vez não vou insistir na amamentação no peito).

img_4505-2

Chegando em casa, e para terminar de vez com as compras, pesquisei preços em alguns sites e achei boas ofertas para as mamadeiras (vou manter o uso da Avent, que sempre usei), um esterilizador novo de microondas (esse eu tinha um velhinho mas como estava bem abaixo do preço normal resolvi comprar um novo) e uma almofada de amamentação.

Tudo isso deve chegar ainda essa semana. Já nas próximas a idéia é aproveitar para fazer massagem, ir ao salão cuidar do cabelo que precisa de corte e tintura e também fazer manicure, pedicure, depilação e o que mais eu lembrar.

Acho que estou oficialmente naquela fase do siricutico de deixar tudo pronto que antecede qualquer parto.

Será que falta muito?

N.

10 Comments

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
November 8, 2016
Next Post
November 8, 2016

10 Comments

  • Bárbara Hernandes

    Nossa, eu não imaginava que um recém-nascido precisava de tanta coisa. Não sei se por ingenuidade ou inexperiência, mas cara, se eu tivesse um bebê agora precisaria fazer um curso intensivo! rs

    • Nivea Sorensen

      Bárbara, sem contar o que a indústria faz você PENSAR que precisa. Insano. Ainda bem que sempre tem uma amiga ou outra que já tenha passado por isso antes. x

  • Bibi

    Nossa, Nívea, já tá no finzinho… como passou rápido (pra mim, claro)!
    Agora é só esperar o baby 3 aparecer nesse mundo!
    Vai ter apostas de dia e sexo? huhu
    Bjooo

  • Luana

    Tudo bem colocar quimica no cabelo durante a gravidez? Sempre tive essa duvida, ja vi gente que fala que faz mal, outros que dizem que nao, que nao tem problema, fico meio em duvida do que e verdade ou nao. Bom parto, muita sorte! Abraco!

    • Nivea Sorensen

      Luana, acho que faz mal sim, principalmente no primeiro trimestre. Depois é mais OK. Para ser sincera quando fiquei sabendo da gravidez da Elena eu tinha acabado de fazer um progressiva. Fiquei culpada, mas já tinha feito. Dessa vez eu tinha descolorido o cabelo duas vezes. Ou seja, nada que seja recomendado, pelo menos por precaução. Depois disso continuei fazendo uso da tintura, sim. x

  • Mariana

    É, você está definitivamente nesting!
    Tão gostosa essa fase de expectativa. Principalmente quando o sexo é surpresa.
    Grande abraço!

  • Silvana

    Tô tão curiosa pra saber o sexo do baby Sorensen 3…!

Leave a Reply

Related Posts