Menu
Meu babóg

Cabeça, ombro, knees and toes, knees and toes

Ou o vocalubulário anatômico de um bebê bilingue de 20 meses (e que tem falado pelos cotovelos, ou melhor, pelos cotovelos e elbows):

Eyes (olhos);

Nose (nariz);

Mouth (boca);

Mão;

Pé;

Pipi.

O porquê dele escolher algumas em português e outras em inglês, apesar de entender as duas, permanece um mistério.

N.

About Author

39 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

14 Comments

  • Juliana Valera
    January 7, 2013 at 5:16 pm

    Coisa fofa!

    Reply
  • Grace
    January 7, 2013 at 5:18 pm

    que coisa… acho fantástico isso!!

    Reply
  • Camila
    January 7, 2013 at 6:22 pm

    Lindo!!

    Reply
  • Daniela
    January 7, 2013 at 7:13 pm

    Não deve ser fácil para eles, né?

    Acho, porém, que deve ser mais fácil assim do que aprender mais velhos…. inegavelmente. Porém, deve ter sim uma confusãozinha mental por aí… daqui alguns anos tudo passa, não?

    Será que ele falará português, vc acha que sim?
    Seu marido fala alguma coisa de português?

    Beijos!!

    Reply
    • Nivea Sorensen
      January 8, 2013 at 6:13 pm

      Dani,
      A teoria diz que até uma certa idade não há confusão nenhuma e eles são capazes de aprender várias linguas ao mesmo tempo (e sem nenhum sotaque). Na hora da alfabetização ensinar as duas seria um problema, então ele vai aprender a escrever em inglês e quando for mais velho eu vou ensinar o português em casa.
      Eu acho que é natural que depois da escola ele passe a optar só pelo inglês que é a lingua da comunidade. Espero no entanto que ele continue a entender o português e falar durante as férias no Brasil.
      Meu marido entende muito bem português e fala até que bastante (mas não é fluente).
      Beijos

      Reply
  • Mi
    January 7, 2013 at 7:37 pm

    Que fofo! A Milena ainda nao fala mas ja percebi q ela prefere o alemao ao portugues, mesmo entendendo as 2 linguas. O engracado eh q ela prefere falar “papaI” ao inves de “papa”. Eles devem achar algumas palavras engraçadas e usar mais 🙂 bjs!

    Reply
    • Nivea Sorensen
      January 8, 2013 at 6:14 pm

      Mi, E. até algum tempo atrás falava tudo em inglês (menos mamãe e papai), agora parece que tem dividido um pouco melhor.
      x

      Reply
  • dani cassar
    January 7, 2013 at 9:15 pm

    Haha aqui tambem e assim.
    Ela entende portugues, mas so fala ingles, acho que por ser a lingua mais falada por aqui e agora deu para me corrigir quando eu falo, ela repete em ingles…hahaha

    Morremos de orgulho nao e? Tao pequenos e super espertos.
    Beijos em vcs

    Reply
    • Nivea Sorensen
      January 8, 2013 at 6:15 pm

      Dani,
      Eu estou super feliz com o desenvolvimento dele porque achei que ele ia demorar a falar. Mais do que orgulho eu sinto tranquilidade, uma sensação boa de que a gente tem feio as coisas direito, sabe?
      Beijos

      Reply
  • Mariana Spil
    January 8, 2013 at 12:37 pm

    Quando eu cuidava de um pequeno americano fui instruída pelos pais a falar com o menino em espanhol, já que eles falariam em inglês e o pequeno cresceria bilíngue. É incrível a capacidade que eles tem de compreender que são duas línguas diferentes! Eu falava em espanhol e ensinava o nome das coisas correspondente em inglês, para que ele entendesse que um mesmo objeto (ou alimento, brincamos muito com alimentos, principalmente frutas e legumes) tinha dois nomes, que eu o chamava por um nome e os pais o chamavam por outro nome. Ele começou a escolher, espontaneamente, como chamar cada objeto: se pelo nome em inglês ou em espanhol. Acredito que seja porque alguns sons são mais fáceis de pronunciar e certas palavras ficam mais fáceis numa língua do que na outra. Mas é interessante como, mesmo misturando as duas línguas, aos poucos vai acentuando a percepção do que pertence a uma língua e à outra.

    Reply
    • Nivea Sorensen
      January 8, 2013 at 6:20 pm

      Mariana,
      Eu acho que o E. escolhe mesmo o que é mais fácil de falar, ou o som que ele mais gosta, não sei. Mas funciona assim mesmo, pequenos eles são uma esponja.
      Beijos

      Reply

Deixe uma resposta para Juliana Valera Cancel Reply