Produtos e afins

Pintando o 7

Você deve saber eu sou casada com um nerd, desses que adora um gadget, e que a minha casa tem mais produtos da Apple do que gente.

Ao contrário de mim, I. já trocou quase que completamente os livros, o papel, o lápis e as revistas pelo iPad. Ele faz tudo por lá, escreve, manda e-mails, navega na internet, desenha e lê (livros, revistas, histórias em quadrinhos). Ele já tem inclusive uma pequena coleção de livros infantis, devidamente esperando até que E. tenha um pouquinho mais de idade para aproveitar.

Já eu gosto de livros, de livrarias, de bibliotecas, dessas coisas que muita gente já nem sabe mais o que é.  Gosto de banca de revistas. Papelarias, então, nem se fala. Gosto de caderno, de canetas. De ter na mão, de sentir o cheiro.

Mesmo assim, a cada dia que passa me vejo usando o iPad mais e mais. Aos poucos vou substituindo algumas das coisas que eu fazia sem ele, e já não consigo ir para a cama sem que ele esteja ali na mesinha de cabeceira.

Por conta disso não consigo deixar de imaginar como vai ser a relação do meu menino com todas essas coisas. Ou melhor, em como vamos encontrar um meio termo. Sim, porque é um meio termo que eu quero. Não quero poupá-lo (e nem posso) do acesso à toda essa tecnologia, que bem usada, tem benefícios mil. Ao mesmo tempo, não quero que ele cresça sem saber o que é um livro, um lápis de cor.

Então enquanto I. fica responsável pelos livros virtuais e pelos aplicativos de smartphones e tablets, eu vou fazer o possível para que E. cresça também numa casa cheia de livros reais, giz-de-cera e tinta guache. Dessas com desenhos de criança colados na geladeira, sabe?

Navegando na internet outro dia, me deparei com essas maletinhas de pintura, desenho e joguinhos que podem ser usados pelos pequenos em viagens de carro, no avião, em restaurantes e situações parecidas:

Me fala se não são coisa mais fofa?

Me lembrei quase que automaticamente do dia mais feliz do ano, durante quase toda a minha infância: o dia de comprar o material escolar. Fiquei morrendo de vontade de comprar todos para E., mesmo ele sendo ainda tão pequeno para essas coisas.

Afinal de contas, se ele pode ter o melhor de dois mundos, por que não?

N.

PS. Os kits são da Bébé Sucré, uma loja de São Paulo, mas que entrega em todo o Brasil.

29 Comments

38 anos; brasileira que mora na Irlanda; mãe de um filhote de irlandês do cabelo vermelho e muito fogo na bunda, de uma pimentinha de olhos grandes e curiosos e de uma caçulinha que é só sorrisos.

Previous Post
September 29, 2011
Next Post
September 29, 2011

29 Comments

  • Celi

    Nívea,
    Realmente esses kits são demais. Adorei para o carro, para a viagem de avião. Muito bacana! Acho mesmo que temos que investir nisso para nosso filho. Desenhar, usar o papel para criar, fazer inúmeras coisas. Enquanto isso, os pais usam os aparelhos eletrônicos. Já somos dependentes, mas nossos filhos podem ficar dependentes da diversão com brinquedos, com vários materiais artísticos…rs
    Beijos

    • Nivea Sorensen

      Oi Celi.
      Acho que não faz mal pelo menos tentar incentivar o contato com essas coisas, né?
      Beijos

  • Andressa

    Sou exatamente assim. Eu gosto de cheirar os livros. Acho que não me acostumarei aos e-books e afins.

    • Nivea Sorensen

      Andressa,
      Eu acho que para nossa geração é muito difícil substituir os livros mesmo, mas para quem já nasce no meio de toda essa tecnologia já é diferente. Enfim, quem sabe tendo contato com as duas formas eles possam fazer suas escolhas.
      Um beijo

  • lorena

    Somos duas. Adoro uma livraria. Ler o livro, folhear.

    Mas, acumula tanta tralha….
    Por isso, estou quase ( eu disse quase ) mudando de lado de vez. Virando uma pessoa super tecnologica. O que seria realização do marido.

    Ah, vc ta dando exemplo . Pensei se N. pode na Irlanda e com um bebê pequeno, eu também posso, aqui em sao paulo, e sem bebe nenhum.
    Portanto, dieta ja!

  • Mari

    Quando você me disse que adorava cadernos eu não tinha botado miuta fé, mas agora imagino que a sua alegria é a mesma que eu sentia quando ganhava canetas coloridas de aniversário.
    E sim, eu também esperava ansiosamente pela compra do material escolar no início do ano! Sem dúvidas dava de 10 a 0 no Natal.
    Levando em conta que o meu babóg vai chegar mais ou menos uns 10 anos depois do seu, acho que vou começar desde já o meu estoque para que ele não cresça apenas num mundo digital.
    Um beijo.

    • Nivea Sorensen

      Mari,
      Era verdade, sim! Eu adoro canetas coloridas, cadernos, bloquinhos, absolutamente tudo que se vende numa papelaria.
      haha… 10 anos depois, é? Já está planejando?
      Beijos

      • Mari

        Ah querida, só falta o papai! Hahaha

  • Beta

    Nivea, menina, parece ateh q tô lendo sobre a MINHA casa.

    Também fico super dividida entre a tecnologia e o resto, mas decidi que vou deixar as coisas acontecerem naturalmente, pendendo pra um lado ou pro outro. Por exemplo, a gente nao quer que o Felipe fique vendo tevê entao naturalmente a gente nao assiste mais.

    Beijinho!

    • Nivea Sorensen

      Beta, você tem toda a razão. A gente precisa mesmo, antes de tudo, dar o exemplo. Não adianta querer que ele leia, se nós não lemos, ou querer que ele não assista televisão se nós assistimos. Mesma coisa com a comida, não é?
      Beijos

  • DanyCassar

    Eu tbm adoro canetas, cadernos, tintas e em 7 meses aqui em Malta ja juntei uma tralha danada que me parte o coracao em ter que deixar minhas canetinhas e afins…rsrs, sempre que passo na papelaria invento uma disculpinha p. trazer algo…haha
    Mas a tecnologia e inevitavel, entao como vc disse que fique no meio termo e que nossos babies saibam aproveitam um pouco dos dois mundo 😉
    bjs

  • Sonia

    Como eu te entendo!…
    Também eu sou doida pelo cheiro de livros e tenho me mantido firme a recusar lê-los em formato digital. Não dispenso o prazer de voltar cada página, de ansiar chegar perto do fim e depois sentir uma ponta de tristeza ao ver que falta pouco para terminar.
    E ainda hoje, é raro resistir às secções de papelaria! Ainda estou para entender o fascínio que as canetas coloridas exercem sobre mim! =)
    Bjs

  • rita gomes

    Nao acredito!!!!!!!! o dia de comprar material escolar tbm era o dia mais feliz do ano pra mim!! eu passava semanas imaginando qual seria o tema das coisas (já foi da minnie, do 101 dalmatas etc).. hoje como voltei pra faculdade de moda, tive novamente um poquinho dessa sensacao: lapis de cor, tintas, reguas…. delicia!! 🙂

    mas só uma dica: vc nao vai querer levar com vc esses q tem tinta, faz uma puta bagunca, suja tudo… tinta só em casa, no jardim de preferencia… rs
    bjs

    • Nivea Sorensen

      Ah, Rita… Eu também, nem doria direito um dia antes na expectativa de escolher os cadernos, de comprar uma caixa nova de lápis de cor.
      Obrigada pela dica, eu vou deixar o da tinta na casa da vovó onde tem um jardim bem grande para se fazer bagunça e sujeira.
      Um beijo

  • satya

    Nossa agora voce me fez voltar la na minha infancia. Que dia delicia, a lista de material escolar, minha mae comprando com a gente e chegando um casa um monte de coisa lega e novinha. Que recordacao!

    A gente usa bastante tecnologia aqui em casa, mas eh bem controlado com a Lali, ela usa bem de vez em quando e enquanto isso a casa eh cheia de papel desenhado espalhado por ai. Amo!!
    Bj

    • Nivea Sorensen

      Satya,
      Era assim mesmo, não? Eu também me lembro da alegria de chegar em casa com aquele monte de sacola e colocar tudo no chão, para “arrumar”.
      Beijos

  • Malu

    Vivencio a mesma coisa que vc. Dia desses cheguei até a discutir com o maridón. Ele quer que a criança já nasça tendo contato com o mundo tecnologico e eu, acho importantissimo a criança pegar gosto pela leitura atraves de livros normais… e so depois passar para um ebook…rs

    • Nivea Sorensen

      Oi Malu,
      Acho que não dá para impedir que eles tenham acesso à tecnologia, mas concordo totalmente que é importante ter livros a mão desde muito cedo.
      Beijos

  • Carol Ambrogini

    Olá Nívea, conheci seu Blog pela Lorena do Mulheres na Berlinda e adorei…
    Meu marido é igual ao seu, acabou de comprar um Macbook e até eu estou de escanteio…e eu sou parecida com vc. Adoro canetas, lápis e afins. Amo cheiro de lápis de cera, talvez porque me lembre a minha infância.
    Tb tenho um Blog, mas sou estreante neste mundo. Depois vá lá conhecer:
    http://www.carolambrogini.blogspot.com

    • Nivea Sorensen

      Oi Carol,
      Obrigada pela visita, pelo comentário. Já passei pelo seu blog e me emocionei logo cedo. Deixei meu comentário lá.
      Um beijo

  • Cintia

    Concordo contigo. Nada como o melhor dos dois mundos. Vou deixar o maridao (tambem geek, mas Apple hater) apresentar toda a modernidade a Sofia e eu fico com os livros, lapis, canetinhas, tintas, etc… cheiro de livro novo… poxa, nada igual!

    • Nivea Sorensen

      Nada melhor do que isso, Cintia. Assim a Sofia vai sempre se lembrar de você quando sentir o cheiro de livro novo.
      Um bejio

  • Cris

    Táááá certíssima… Apesar de o Biel já amar um PC, tbm temos livros, giz de cera, e um kit bem parecido como estes, pra ele usar qdo estamos comendo fora…

    Já que existe toda esta tecnologia, claro que eles vão aproveitar… mas não podem esquecer da coisas boas da vida como desenhar horrores!!!

    BJOUXXX

    • Nivea Sorensen

      Por isso mesmo que eu falei em meio termo, Cris. Acho legal que eles tenham acesso às duas coisas.
      Beijos

  • ka smith

    Amigas somos mães gêmeas…você sabe….

Leave a Reply