Uma ode às mamadeiras


3 semanas foi o que durou minha tentativa de amamentar.

Para sair bonita no post, tipo a Juliana Paes na campanha do Ministério da Saúde, eu poderia dizer que foi por causa de todos os probleminhas técnicos que eu tive desde que sai do hospital, e sobre os quais falei aqui. Afinal quase todo mundo entenderia que nessas condições só um esforço sobre-humano para manter um bebê acoplado ao peito, sem contar que eu não poderia estar tomando a quantidade de antibióticos que estou tomando no momento.

Mas não foi por isso. Foi um conjunto de coisas. Primeiro a frustração por não produzir leite suficiente para amamentar o que parece ser mesmo um filhote de bárbaro como eu já havia previsto (não lembra? clica aqui).

Fiz tudo certo, com uma puta boa vontade de fazer o que todo mundo sabe é o melhor para o bebê, mas não deu. E quando não deu, me dei ao trabalho de fazer as duas coisas. Bebê no peito seguido de mamadeira. Pode me chamar de preguiçosa, mas fala sério, quem aguenta amamentar (coloca aí no relógio quase uma hora) e depois ainda lavar, esterelizar, fazer, refrigerar e aquecer mamadeira? A cada hora e meia, 24 horas por dia.

Junte o cansaço à tal da frustração, e todo mundo me dizendo (e com toda razão) que eu poderia descansar mais caso optasse só pelas mamadeiras.

Ao invés de começar a produzir mais leite parece que o contrário foi acontecendo. E. ficava cada vez mais irritado no peito, e passava a mamar uma quantidade cada vez maior da mamadeira. Cheguei a conclusão de que o que ele mamava no peito era nada, ou no mínimo muito pouco, e que não valia o meu esforço (e nem o dele).

Aí chorei o que tinha para chorar, senti toda a culpa do mundo,  e resolvi parar.  Guardei numa caixa a bomba para tirar leite, o avental que tinha comprado para amamentar em público, o creme para o bico dos seios. Tudo devidamente arquivado.

Arquivei também a culpa e a frustração. Resolvi que não vou me martirizar. Não mais. Eu não fui amamentada, I. também não foi, e conheço pelo menos uma outra dúzia de bebês lindos e saudáveis que também não o foram.

Desde então tenho estado mais feliz. Tenho passado com o meu filho horas mais felizes, já que passei a dormir um pouquinho mais e ele também.

Tenho um respeito enorme para com as mães que amamentaram ou amamentam, apesar de todas as adversidades, hoje mais do que nunca. Olhando de longe, parece tão fácil. E também para com a outras, que assim como eu não conseguiram ou não quiseram fazê-lo. Sim, porque essas são obrigadas a assumir uma decisão tão difícil quanto a tarefa de amamentar.

N.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

13 comments on “Uma ode às mamadeiras

  1. Mi disse:

    as 2 decisões sao difíceis! nao adianta falar que amamentar é fácil, natural…pq acho que só quem realmente tentou é que sabe como deve ser difícil. vc faz bem em arquivar tudo e agora curtir as horas com o seu filho, sem tanto stress e pressão. o importante é o carinho entre vocês. bjs!

  2. IngridSouza disse:

    Parabéns minha querida, vc fez oque podia e não podia, vc tentou até DEMAIS na minha humilde opnião!
    Pokbunny ta aqui, lindo e forte sem nunca na vida ter tido amamentação exclusiva, no comecinho era peito e mamadeira, sendo mamadeira mais que peito, depois virou so mamadeira mesmo e eu nunca senti sequer um pingo de culpa.
    Não fui amamentada, conheço muitos que tb não foram e ta todo mundo ai, feliz e saudável.

    Aliás, eu devo ser um péssima mãe mesmo porque além de pokbunny mamar na mamadeira, a mesma não era esterelizada dentro dos “padrões”, a unica coisa que fazia e faço era lavar só com agua quente e escovinha depois de usar e colocar na agua fervendo antes de usar novamente, tá aqui meu lindão, quase 10 meses, enorme e forte como um tourinho.

    Beijocas e melhoras, to aqui rezando pra que a Nossa Senhora da Saúde olhe por vocès ai como sempre olhou por nós aqui.

  3. DanyGouveia disse:

    Ni esta certissima, quando nao da nao adianta, acho que tudo eh uma questao de sorte tambem, p/ algumas e menos doloroso, para outras nao( a Bella no comeco mamava com sangue) mas depois passou, foi dolorido demais, mas hoje esta aqui mamando a doidado, meus sorinhos mamaram pouco no peito e mais na mamadeira e sao todos energeticos, minha mae nao amamentou, nao aguentou muito e ainda eram duas bezerrinhas famintas querendo o peito no mesmo tempo…E estou aqui inteirinha e com saude…

    O mai importante eh curtir o momento seja no peito ou na mamadeira e isso vc vai ver que eh a melhor coisa do mundo e nao mais estress!!!

    Bjos em vcs e um cheiro no pescocinho cheio de dobrinhas do E. !!!

  4. ana paula disse:

    Nivea,
    Vc esta certa, siga em frente, sem culpa. Decisões importantes, bem pensadas, refletidas, nos trazem paz. A historia de amamentação de cada mãe, pertence a ela e ao bebê, e ninguém mais. Vc tentou bravamente e isso é importante, pois, de uma forma de outra, a maternidade nos ensina e agimos acima das nossas forças, nos superando a cada instante. Tenho certeza que antes de vc parar de amamentar, teve o sentimento de “fiz tudo o que pude, eu me superei”. E isso ja vale. Tenho certeza que lerei muitos posts com E. brincando, sorrindo e saudavel (e a mamae tb!). Beijos querida : )

  5. Karina M. disse:

    Ní,

    Não se sinta culpada. Você se esforçou e muito!!
    Amamentar não é mesmo tão simples quanto parece.
    Eu que estou prestes a dar a luz já tenho problemas. Desde o quinto mês da gestação estou cuidando do bico do seio, pois rachou.
    Então, tenho muito claro na minha cabeça que vou tentar e que, se não der, tá tudo bem também.
    Ninguém é menos mãe por dar a mamadeira ao filho.
    Minha mãe me amamentou menos de 1 mês e nem por isso eu cresci com problemas. Cresci foi é bem fortinha.rsrsrsr
    Beijocas!

  6. Clarinha disse:

    Nossa, amamentar é difícil demais!!! Eu defendo muito a amamentação, mas defendo sobretudo a escolha das mães porque somos nós que estamos criando os filhos. Precisamos de paz interior e de um pouco de descanso pra poder dar amor. Boa sorte e tudo de bom!

  7. Cris disse:

    Flor, vc fez tudo oq podia e até oq não podia…
    Esses dia saí do pediatra me ‘achando’ de tanto elogio que o Gabriel levou (afinal é branquelo e relativamente magro, mas come como um touro)… e ele só mamou no peito 2 meses e meio e parou a mamadeira aos 8 meses e nem por isso deixou de ser saudável!!!
    Vc vai ver… ele vai ficar bem mais calmo e com menos fome daki pra frente e vc vai poder curti-lo sem os MEGA stress que a mamentação pode trazer pra algumas mulheres!!! Pra mim vc tá mais do que apoiada viu!!!

    BJOUXXX e se cuidem!!!

  8. Cath disse:

    Oii Nivea, o que importa eh q vc tentou e foi muito corajosa por ter passado tudo que vc passou e ainda continuar insistindo. O que importa tambem eh o q stress ja esta indo embora e agora vc vai poder curtir mais essa fase. Tenha certeza de que vc eh um motivo de orgulho para quem le o seu blog e tambem para o E e o I.
    Que Deus te abencoe nessa nova fase :D
    bjusssss

  9. Priscila disse:

    Oi Nivs,
    parabens pela força e pelo lindo bebe, Tambem não pude amamentar a Mariana do jeito que imaginei por diversos problemas, mas mesmo assim ela é enorme e super saudavel…….beijos

  10. Daniela disse:

    Isso ai Nivea, vc fez o que pode. Agora seguir em frente e avante, felizes e sem culpa!
    bjos!

  11. Cintia disse:

    Nao se sinta culpada, nao. Voce tentou. Teu filho ta bem e vai ficar bem, nao te preocupas com isso. Descansa agora e esquece isso, e nao deixa ninguem te julgar. Beijos!

  12. Ernani disse:

    Vc é admirável por ter atitude e me impressionou ainda mais por se mostrar também tão forte e decidida nesse assunto. Parabéns, mamãe!
    bjoca

  13. Ananda Etges disse:

    Oi Nivea,

    O que importa é vocês estarem bem. Com peito ou mamadeira. Espero que as coisas melhorem agora e que o pequeno E. fique bem!

    Beijos, Ananda.

    http://projetodemae.wordpress.com/